Buscar

Com ação nas escolas, SG vai encarar pedofilia de frente

Cidade abraça e implanta o projeto "Pedofilia: aprender para se proteger", lançado ontem (4/11) na sede da OAB 

O prefeito José Luiz Nanci estava presente/Foto: Divulgação

Ontem foi realizada na sede da OAB/SG audiência pública para o lançamento da campanha Pedofilia: aprender para se defender. O evento teve o apoio da Prefeitura de São Gonçalo e da Câmara de Vereadores, e reuniu magistrados, policiais, psicólogos, advogados, professores e outros profissionais que podem contribuir para combater esse tipo de crime.


O prefeito José Luiz Nanci, e o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), desembargador Claudio de Mello Tavares, participaram da audiência, convocada pelo vereador e presidente da Comissão de Assistência à Criança, ao Idoso e à Pessoa com Deficiência, Alexandre Gomes (PSB).

- Muitas pessoas infelizmente sofrem com este tipo de problema no seio de suas famílias, que devem criar mecanismos para se defenderem desse crime horrível. É central a importância da escola para enfrentarmos esse problema que atinge tantas crianças - disse José Luiz Nanci.


O projeto, que foi criado pela escritora Maura de Oliveira, abusada sexualmente quando criança, será implantado nas escolas municipais com apoio da Secretaria de Educação. Maura relata que só encontrou forças para encarar o trauma e a violência sofridos quando uma professora conversou com ela após chorar muito após o abuso, na hora de voltar da escola para casa.


- Precisamos de adultos saudáveis e, para isso, precisamos cuidar das nossas crianças e adolescentes, observando que muitas delas, vítimas de pedófilos, entram em depressão podendo até mesmo se automutilar e chegar ao extremo de cometer suicídio - observou Maura de Oliveira, que celebra o apoio incondicional do poder público gonçalense ao projeto precursor no estado.


O vereador Alexandre Gomes aproveitou a oportunidade e entregou ao presidente do TJRJ, Mello Tavares, uma Moção de Aplausos em nome do Legislativo gonçalense e citou dados da CPI da pedofilia instalada no Senado em 2018, em que 95% dos que abusam sexualmente de crianças e adolescentes são conhecidos deles; e 65% são parte a família da vítima. E quase 99% são homens. Uma tragédia.


- Uma em cada três meninas denuncia o abuso e apenas um em cada 100 meninos - disse Gomes, deixando claro que pedofilia não tem cura porque não é uma doença.


Além dos citados, estavam presentes os desembargadores Fábio Dutra e Ivone Ferreira, o secretário de Educação Marcelo Azeredo, os delegados Juliana Emerique, Adilson Palácio e Paula Reis, delegada da Polícia Federal, o policial civil Emerson Brant, Eliano Enzo, presidente da OAB-SG e Quezia Carvalho, psicanalista e educadora; entre outros.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon