Compensação Ambiental garante R$ 2 milhões de investimentos em São Gonçalo

Recursos serão aplicados no Centro de Tradições Nordestinas, em Neves, e três Áreas de Proteção Ambiental (APAs)

Alto do Gaia, na Serra de Itaitindiba, receberá parte dos recursos/Foto: Reprodução Internet
Alto do Gaia, na Serra de Itaitindiba, receberá parte dos recursos/Foto: Reprodução Internet

O prefeito Nelson Ruas, o secretário municipal de Meio Ambiente, Carlos Afonso e empresários que investiram na construção de empreendimentos em São Gonçalo, se reuniram na última semana para assinatura de três termos de compromisso que somam mais de R$ 2 milhões para a execução de projetos de de compensação ambiental no município.

Os recursos são provenientes da aplicação da Lei 713/2017 e irão beneficiar o Centro de Tradições Nordestinas, em Neves, e três Áreas de Proteção Ambiental (APAs). As intervenções devem ser realizadas ainda no primeiro semestre de 2021.

- É de extrema importância, porque a única beneficiada é a população do município e isso nos dá mais estímulo para continuar trabalhando. Especialmente nesse momento de poucos recursos, é gratificante poder anunciar a execução destes projetos - disse o prefeito.

O secretário municipal de Meio Ambiente destacou os investimentos na área ambiental logo no início da gestão do prefeito Capitão Nelson.

- O prefeito prioriza a questão ambiental porque sabe da importância que ela tem para São Gonçalo. Estes projetos irão valorizar locais antes esquecidos pelo poder público, aproximando essas áreas da população - disse Carlos Afonso.

Aplicação de recursos

O Centro de Tradições Nordestinas receberá uma cobertura sustentável. Será uma estrutura de aproximadamente 900 m² de telha e 350 m² de lona, com aproveitamento de luz natural e reuso de água da chuva. A feira também receberá um banheiro com biodigestor, que será instalado próximo à pista de patinação, tratando os efluentes produzidos.


- A aplicação dessas compensações transforma áreas antes degradadas em equipamentos de uso público para a população da cidade - disse Érico Franco, representante da Cury Construtora, uma das empresas que realizou a compensação ambiental para o município.


Os investimentos também contemplam a preservação das Áreas de Proteção Ambiental (APAs) das Estâncias de Pendotiba, em Maria Paula; Alto do Gaia, em Santa Izabel, e Itaoca. São mais de 3600 hectares de área protegida, que contarão com um comitê gestor integrado das unidades. O objetivo é uma maior integração da população com essas áreas verdes.


Além do plano de manejo integrado, o Alto do Gaia, ponto mais alto de São Gonçalo, receberá a estruturação da rampa de voo livre e sinalização ambiental. O investimento é fundamental para aquecer o setor de ecoturismo na região.


- Muitas pessoas acham que a região da rampa de voo livre pertence a Maricá, mas é nosso território. Com essa iniciativa mostramos que o poder público está na região. Lá não tem qualquer tipo de sinalização informando que a área pertence a São Gonçalo - comentou Carlos Afonso, secretário municipal de Meio Ambiente.


A sinalização ambiental no Alto do Gaia vai auxiliar os frequentadores com informações, como as dificuldades das trilhas do local e a altitude em que se encontram.


O bairro Sacramento também será beneficiado com a aplicação dos recursos de compensação ambiental, com a construção de uma praça na Rua General Segadas Viana. A praça terá brinquedos, academia de idosos e receberá obras de paisagismo.


Origem dos recursos

Os recursos que serão aplicados nos projetos e execuções são provenientes de compensações ambientais, por meio da aplicação da Lei 713/2017. Através de um processo de licenciamento ambiental, o empresário faz a supressão da área onde irá construir seu empreendimento e, em contrapartida, fica responsável por projetos ambientais como compensação. Trata-se de um cálculo feito antes mesmo da empresa dar início às obras, através de avaliação e estudo prévio.


MALUGA_2.jpg
QV1.jpg
Banner_300x250_Homem.gif