Buscar

Eduardo Maciel, destaque na Flip, falou com o Daki

Por Erick Bernbardes

Eduardo Maciel é carioca, tem 40 anos, mas diz que possui alma de 80 e corpo de 20. É poeta e escreve frequentemente para o Portal Diário da Poesia, e se considera um apaixonado por São Gonçalo. Em sua cena artística, desde que conheceu e passou a integrar o time de colunistas do Diário da Poesia de São Gonçalo, com sua coluna quinzenal #sonetoempauta ele vem dando mostras que aqui na cidade encontrou calor humano. O Jornal Daki entrevistou este jovem escritor que só fala coisas boas dos gonçalenses.

Maciel esteve na Flip de Paraty/Foto: Divulgação Autografia

Eduardo, fale para o Daki um pouco sobre você? Quem é Eduardo Maciel?


Bem, Eduardo é um poeta sonetista, autor de contos e um artista multidisciplinar: fotógrafo com diversos trabalhos realizados, diretor de fotografia (ensaios e abstrações), compositor e cantor, além de roteirista para teatro. Acadêmico Correspondente (cadeira 170) da Academia Internacional de Letras, Artes e Ciência. Autor do livro SonetATO e SonetIMAGEM (a ser lançado em agosto), vencedor do concurso literário Jovem Embaixador, e coautor de 2 livros através de concurso promovido pela UNESCO.


É verdade que os seus livros em coautoria foram publicados em outras línguas?


Sim, e me orgulho disso. Saber que outras culturas tomarão contato com o que escrevo com tanto carinho...ah, é bom demais. Esses livros foram publicados em 3 idiomas em 160 países. Também fui vencedor do concurso Poesia Agora em 2019 e, mais recentemente, selecionado como colunista da revista “Litere-se”. Estou muito feliz com isso.


O que você pretende daqui para frente?


Gosto de falar sobre isso, projetos são ótimos de se mencionar. Estou conduzindo um projeto cultural de resgate dos sonetos no cenário da literatura brasileira em todas as suas 16 formas de composição já catalogadas, com o lançamento previsto de 7 livros cujas capas se inter-relacionam e cujos títulos são sempre neologismos envolvendo o radical da palavra SONETO, sendo que em cinco deles os sonetos conversam com outras linguagens da arte, num approach de divulgação como série audiovisual (sete livros com 50 episódios cada).


E depois do seu próximo livro, o que você pensa em fazer mais tardiamente, já se planejou?


Claro que me planejei sim. Pretendo dar continuidade a esse modelo de livros nos quais há interferência de outras linguagens artísticas. De certa maneira, tenho o desejo de promover ações de ativação que coloquem protagonismo na outra arte que acompanha os sonetos.


*Eduardo Maciel esteve com a Editora Autografia e o Diário da Poesia na FLIP de Paraty na mesa sobre SonetATO, na intenção firme do resgate cultural dos sonetos em todas as suas formas, na sexta, 12/7.



MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon