Escolas se preparam para retorno híbrido das aulas em março

Sindicato orienta servidores a denunciar falta de segurança sanitária nas unidades escolares

As salas foram preparadas para receber os alunos com distanciamento/Foto: Divulgação
As salas foram preparadas para receber os alunos com distanciamento/Foto: Divulgação

A Secretaria de Educação de São Gonçalo (Semed) promoveu nesta quinta (18) encontro onde apresentou as ações pedagógicas e de infraestrutura de garantia de retorno seguro dos alunos às escolas, a partir do dia 1º de março, em sistema híbrido.


A secretária de Educação, Lícia Damasceno, detalhou ao prefeito Nelson Ruas (PL) e a subsecretários e assessores presentes à reunião, as estratégias de retorno às atividades presenciais dos profissionais de educação de acordo com protocolos de segurança criados pela secretaria.


A logística de retorno foi definida pela Semed junto à direção de cada escola, segundo a realidade de cada unidade de ensino. Mas o sistema híbrido terá como diretriz funcionar com quantitativo presencial reduzido, para não haver aglomerações nas escolas.


O sistema, segundo a Semed, é uma forma de acolher gradativamente os alunos que estão em casa desde o início da pandemia, com necessidade de socialização escolar e aprendizagem de conteúdos específicos. Os kits escolares e livros já estão sendo entregues aos alunos.


- Estamos nos preparando para garantir o direito à educação aos nossos estudantes, oferecendo um ambiente escolar apropriado aos alunos, professores e funcionários. Estamos confiantes no trabalho que exercemos e no compromisso dos diretores e professores com a rede municipal de ensino. Nossos alunos merecem e precisam da escola - disse Lícia Damasceno.


O sindicato dos servidores de São Gonçalo (Sindspef), baseado nas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), criou uma cartilha de acompanhamento dos protocolos criados pela Prefeitura para o retorno às aulas presenciais.


De acordo com as doze orientações do sindicato, se as unidades escolares estiverem em desacordo com uma das recomendações da OMS, o servidor deve fazer a denúncia, que será recebida de modo anônimo, pelo telefone (21) 98563-4282. Uma comissão formada pelo sindicato irá checar na unidade a irregularidade denunciada e, se necessário, denunciar ao Ministério Público caso não se chegue a uma solução administrativa.


- Pedimos uma reunião com a secretária e não fomos recebidos. Mas na solicitação de reunião formal com a Semed, fornecemos orientações para implantação dos protocolos sanitários corretos nas escolas. Quero acreditar que esses protocolos serão implantados à risca para a segurança da comunidade escolar - observou Ewerton Luiz, presidente do Sindspef.


A Semed afirma que orientou os diretores das escolas a receberem a equipe técnico-pedagógica com equipamentos de proteção individual (EPI’s), priorizar as atividades em ambientes ventilados e espaçamento para que haja distanciamento entre os funcionários.


Os trabalhadores passaram por testagens de covid-19 e as escolas foram sanitizadas pelos motofogs da prefeitura e higienizadas sob orientação da direção escolar.


Funcionários e alunos que apresentarem laudo médico comprovando comorbidades que impeçam a presença em locais públicos poderão atuar e ter acesso às atividades de maneira remota.


Também foi definida na reunião a entrega do cartão alimentação de merenda escolar, que será realizada no final deste mês. A partir de março, com o retorno híbrido dos alunos, a distribuição da merenda será dividida entre cartão alimentação e refeições oferecidas nas escolas.




MALUGA_2.jpg
QV1.jpg
Banner_300x250_Homem.gif
<