Buscar

Hospital Che Guevara é inaugurado em Maricá

Unidade, que fica às margens da RJ 106, irá receber pacientes com Covid-19

Hospital leva o nome do líder da Revolução Cubana/Foto: Divulgação

O prefeito Fabiano Horta entregou na tarde desta sexta-feira (1º de maio – Dia do Trabalhador), o Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara. A nova unidade está localizada na Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), na altura do km 23, em São José do Imbassaí.


Durante a solenidade, restrita por conta da pandemia do novo coronavírus, o prefeito Fabiano Horta frisou o importante papel que o hospital desempenhará no município, principalmente nesse período de pandemia.


- Apresentamos o Che com suas unidades de intensividade, na sala vermelha, de trauma, todo um conjunto médico hospitalar da melhor qualidade, com os melhores equipamentos, e acima de tudo, os melhores profissionais. As nossas equipes médicas foram treinadas nos melhores protocolos para enfrentar o novo coronavírus. Quero agradecer muito a essa equipe, e dizer a eles que esse esforço de solidariedade é uma luta da vida, uma luta de todos para que possamos transcender um tempo de agonia humana - declarou o prefeito.


A secretária de Saúde Simone Costa enfatizou que o Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no Centro, não vai parar com o seu atendimento.


- O Conde é a nossa porta de entrada onde os pacientes vão chegar e vão ser referenciados. O Conde e o Che vão ser irmãos e precisamos trabalhar essa referência”, afirmou emocionada. “Agora é um momento de aprendizagem de todos juntos para sairmos dessa pandemia. Tenho certeza que daqui a pouco vamos ter pacientes saindo curados do Che e sendo aplaudidos por todos, porque vai ser mais uma vida salva. O Che chega com essa intenção de salvar vidas - finalizou.


O presidente da autarquia Serviços de Obras de Maricá (Somar), Renato Machado, deu as boas-vindas aos novos profissionais que atuarão na nova unidade.


- Quero que vocês sejam protegidos, que possam, no exercício de sua função, fazer o que tem prazer, que é salvar vidas. O Che Guevara se inicia para marcar no Estado do Rio de Janeiro um local que vai ajudar nesse momento a salvar vidas - afirmou.


Após a solenidade de inauguração o prefeito e a secretária de Saúde percorreram os principais setores do Hospital Che Guevara, como sala de observação adulta, sala de trauma e centro cirúrgico. Eles ainda passaram pelos quartos que vão receber os primeiros pacientes no domingo, além dos CTIs.


Na sala amarela, viu como funcionará o setor que recebe pacientes vindos da sala de trauma. O local conta com respiradores para, em caso de necessidade, o paciente ser entubado.

Estiveram presentes o vice-prefeito Marcos Ribeiro, o secretário de Relações Institucionais, João Maurício Freitas e o presidente da Câmara Municipal, Aldair de Linda, entre outros vereadores e autoridades do Executivo.


O Hospital

Orçado em R$ 80 milhões (entre obra física e equipamentos) e custeado com recursos próprios, o hospital tem capacidade para 137 leitos: enfermarias clínicas, de urgência e emergência, infantis, adultas e de idosos. Em sua área externa, possui um estacionamento com capacidade para 238 vagas. Ainda do lado de fora, o hospital possui um tanque de oxigênio de 11 mil litros (9.200 m³) para abastecer toda a unidade.


Em virtude da pandemia do novo coronavírus, o hospital inicialmente funcionará como polo de atendimento aos casos mais graves de infecção da doença. Nesta primeira fase, o Che Guevara receberá apenas pacientes graves de Covid-19, que serão encaminhados pelas unidades de saúde básicas e dos polos de atendimento montados no Centro, em Ponta Negra e Itaipuaçu.


Inicialmente, o hospital foi aberto com 75 leitos (20 de UTI, cinco de trauma, 10 de suporte e 40 de enfermarias). O atendimento de livre demanda, em que o paciente vai às unidades se consultar não será realizado nesta primeira etapa.


Dividido em três blocos- A, B, C- no primeiro estão localizadas as salas de trauma, de observação, consultórios, odontologia, medicação, pequenos procedimentos, quartos, leitos, centro de imagem; no B estão o centro cirúrgico, os dois Centros de Terapia Intensiva (CTI) e observação individual. Já no C, estão localizados os quartos, vestuário, laboratório, farmácia, rouparia e refeitório, além da área administrativa.


O hospital conta com os mais modernos equipamentos que são referência no país. No CTI, por exemplo, o aparelho de Raios-X digital, é capaz de realizar o exame no local, sem a necessidade do deslocamento do paciente.


A farmácia está totalmente abastecida para o início do funcionamento, e tem uma máquina fracionadora, que identifica medicamentos que saem do setor e vão para outras áreas do hospital.



MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon