Buscar

João Perigo: Competência de um amante e incentivador do Carnaval, por Oswaldo Mendes


João Perigo/Foto Acervo Pessoal

João Gabriel França, físico, formado pela UFRJ, com família tradicionalista, formado na religião evangélica, nascido em 1994 na cidade de Niterói, mas sempre morou em São Gonçalo, na Parada 40, em frente à Praça do Relógio. Por ser muito bagunceiro, era denominado, carinhosamente, de João Bagunça.


E como um menino, com este perfil, passa a gostar de carnaval? Veremos mais adiante. É surpresa.


Desde que o GRES Porto da Pedra alçou voos maiores e foi para o Rio de Janeiro, isto na década de 90, em torno de 1991, além dos ensaios de quadra aconteciam ensaios nas ruas, para treinar, explicar para a Comunidade onde ficarão as suas alas na avenida, seja para treinar o canto, Harmonia, Bateria, treinar fisicamente a atravessar os mais de setecentos metros de avenida cantando e dançando, assim como dar uma oportunidade à população de ver a escola de sua cidade de graça.


Lembrem-se ainda que se cria emprego e renda para a população no entrono das escolas de samba e onde elas ensaiam.


Para isso é necessário deslocar milhares de integrantes da escola e materiais como: bateria, alegorias, e outros, sem falar da necessidade de pessoas que agem para organizar e também hidratar os integrantes. Tem custo. Não é barato, mas é extremamente saudável e as pessoas tem a oportunidade de passar a conhecer mais o que é uma Escola de Samba e, assim, combater todo o preconceito que há contra ela.


Muito criança, acompanhava a Porto da Pedra do muro de sua casa, onde, efetivamente, aconteciam os ensaios e quando o carro de som passava, o intérprete Vantuir e Ito Melodia brincava com aquela criança que acompanhava. Assim nascia um amante do samba. Fascinado, passa a ter uma verdadeira loucura pela Porto da Pedra. Passou a acompanhar os ensaios da Escola, mas em 2000 os pais de Perigo venderam a casa e mudaram-se para Niterói. Dificultou sua ida física à escola.


Passou a acompanhar as escolas à distância, só retornou às quadras de samba após completar a maioridade, e por sua vontade e opção nunca mais saiu.


Desfilou em 2014 na Ala Amigos do Tigre, na Porto da Pedra. E nesse mesmo ano, ou seja, em 2014, retornando do desfile no Rio vindo de barcas, com roupa ainda do desfile viu uma escola de samba armando para iniciar seu desfile em Niterói. Descobria aí que em Niterói tinha carnaval. Era a Escola Amigos da Ciclovia. Pediu ao carnavalesco para participar. Descobriu as diversas formas de se integrar ao carnaval. Foi designado para motorista de carro alegórico, pelo carnavalesco Humberto Abrantes.


Passou a saber que existia um carnaval em Niterói e também a participar do Amigos da Ciclovia. Alerta que, atualmente, há pouca divulgação do carnaval de Niterói e que esse mesmo carnaval já foi considerado o segundo melhor do Brasil.


De motorista de carro alegórico para Harmonia foi um pulo e dali para Diretor de Harmonia, porém continuando a desfilar na Porto da Pedra.


Precisava de mais carnaval. Apenas o desfile passou a ser pouco em sua vida. Assim nasce o Compositor. Para os Amigos da Ciclovia e Alegria da Zona Norte fez suas primeiras composições. Cantor e compositor. Em 2015 vem sua primeira vitória no Unidos do Barro Vermelho.


Em 2015, João Perigo e Igor são convidados a formar a Ala de Compositores da Alegria da Zona Norte, recém alçada ao Grupo Especial de Niterói. Assim, assume a Presidência da Ala dos Compositores da Alegria da Zona Norte, por quatro anos e onde também ganhou o samba.


Com seu primeiro samba ganho na Unidos do Barro Vermelho, em 2015, esperando ver pela primeira vez seu samba cantado na avenida, a escola de samba teve problemas com seu carnavalesco e assim, teve que assumir o posto de carnavalesco. Fez alegorias, terminou fantasias e adereços. Aí se envolveu de vez.


No estúdio do Pepe, onde se fazia a gravação dos sambas de Niterói, conheceu outros Compositores e foi também disputar samba na Viradouro. Isso no Alabê de Jerusalém, disputa de 2015 para o carnaval de 2016. Chegaram na final.


Se declara apaixonado pela Porto da Pedra, onde continuou a disputar sambas enredos. Em 2016, com maior visibilidade em função da visibilidade da Viradouro. os resultados em outras escolas vieram paralelamente.


Em 2017, chega de novo à final de samba enredo na Viradouro. Concorre na Sossego, ano da Zezé Mota, e tem sua primeira vitória para apresentar um samba na Marques de Sapucaí. Neste mesmo ano recebeu o convite da Império da Tijuca para, no ano seguinte, participar do concurso de samba enredo.


Com a disputa de samba enredo na Império da Tijuca, em 2018, passa a conhecer outros compositores e a disputar sambas enredo no Rio de Janeiro. Passaram a disputar, e ganhar, em diversas Escolas de Samba de Niterói e Intendente Magalhães. Engenho da Rainha, Arame de Ricardo, Acadêmicos de Jardim Bangu, Alegria do Vilar, onde foi vice-presidente, Acadêmicos de Jacarepaguá, Coroa Imperial, Passa Régua, Rosas de Ouro no Espirito Santo; São Paulo nos carnavais de Piracicaba, Itatiba e diversos outros. Até 2020 já constam em seu currículo 49 (quarenta e nove) sambas enredos ganhos.


O carnaval de Passo Fundo teve retorno com quatro escolas de samba e João Perigo e Douglinhas, seu parceiro de samba, dividiram dois sambas ganhos para cada um. Está na busca do quinquagésimo samba em 2021.


Alerta ainda sobre o complexo de inferioridade que alguns possam ter com o Rio de Janeiro, inclusive do próprio folião que prefere buscar o Rio tendo carnaval nessa localidade.


Em outra linha de sua vida de artista, em 2016, lançou um livro sobre o carnaval das escolas de Niterói denominado “Carnaval de Niterói: O Resgate das Memórias Esquecidas”; outro, de 2020, livro sobre o perfil traçado pelo Clóvis Bornay sobre os desfiles das escolas de Samba, as introduções de luxo e glamour nos desfiles – livro de nome: “Entre o Asfalto e a Passarela: Um Olhar Carnavalesco de Clóvis Bornay”, o qual encerra a carreira dele em Niterói, sem nenhuma diferenciação do carnaval do Rio.


Outro projeto do João Perigo é o resgate de músicas de carnaval desde a década de 40 até 1995, quando o carnaval de Niterói foi suspenso, retornando há poucos anos. Os áudios, quando possível digitalizar, estão disponibilizados para o público e quando não se tem o áudio, as muitas letras que estão em seu poder, deverão ser fruto de um novo projeto. Ouça as músicas abaixo:


Perigo, com mais cinco amigos, fundaram a Escola Império de Charitas, o qual é vice-presidente - e já foram campeões este ano, subindo para o Grupo C no próximo ano.

Quanto ao seu nome artístico, João Perigo, adveio da troca de João Bagunça; explica que seu tio-bisavô, que era do grupo e capanga de Lampião – o Severino Perigoso. Esse foi o amparo legal criado por sua esposa, que a conheceu na Austrália, em 2014, para troca do codinome. Mais uma estória.


Um Pesquisador, adorador e amante do samba: Este é o João Perigo. A Renovação entusiasta em nome e sobrenome.

Oswaldo Mendes é engenheiro.




MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon