Buscar

Mais de 1,5 milhão de máscaras gratuitas são distribuídas em Niterói

Equipamento é um dos mais importantes para conter propagação do coronavírus. O uso da máscara é obrigatório até para os mais de 17 mil recuperados da doença na cidade


Niterói adotou medidas contra a disseminação da Covid-19 desde o início da pandemia. Hoje, quase 10 meses depois, uma das primeiras iniciativas a serem adotadas ainda é considerada a mais eficaz: o uso de máscaras. A Prefeitura de Niterói já distribuiu mais de 1,5 milhão de máscaras gratuitamente nas ruas e espaços públicos da cidade. Nas últimas semanas, com o número de casos voltando a crescer, a distribuição foi intensificada e mais 500 mil máscaras devem ser entregues nas próximas semanas. Além da adoção de outras medidas, como a sanitização de ruas e o prolongamento das medidas de restrição até o final do mês.


Mesmo com todos os alertas e até a aplicação de multas para quem não usa máscara em espaços de uso comum, pessoas continuam frequentando espaços públicos sem o uso do acessório. O que é um erro, segundo especialistas, porque a máscara é a principal barreira para a entrada do vírus da Covid-19 no organismo. Para os infectologistas, mesmo os pacientes curados da Covid-19 precisam continuar com o uso da máscara. Essa recomendação é feita a cada paciente recuperado que deixa o hospital.


O médico e vice-presidente de Atenção Hospitalar da Secretaria Municipal de Saúde de Niterói, Ramon Lorenzo, explica que o uso da máscara é muito importante para proteção contra o coronavírus, inclusive para quem já teve a doença.


-,A Covid-19 é transmitida principalmente por meio do contato com pequenas gotículas que contêm o vírus e são expelidas por pessoas infectadas. Portanto, o uso de máscaras é importante como medida de proteção tanto para a pessoa que está utilizando quanto para as pessoas ao redor. A recomendação é que todos usem máscara de proteção que cubra totalmente a boca e nariz e que esteja bem alinhada ao rosto, sem deixar espaçamento, além disso, o ideal é trocar a máscara a cada 4 horas ou quando estiver úmida ou suja - alerta o médico lembrando que o uso da máscara é individual e deve ser acompanhado de outras medidas de proteção, como limpeza frequente das mãos e distanciamento social.


Niterói já teve mais de 17.600 pessoas recuperadas da Covid-19. Muitas delas acham que podem circular pela cidade sem a proteção da máscara porque já estariam imunes à doença. Mas especialistas garantem que não há nenhum estudo científico que comprove que uma pessoa recuperada não volte a se contaminar.


Por ser uma doença nova, os efeitos do vírus a médio e longo prazo também não são completamente conhecidos. Além disso, o uso de máscaras e outras medidas preventivas, como higienização das mãos e o distanciamento social, evitando aglomerações, são fundamentais para barrar a propagação da doença.


Estudos mostram que pacientes que já foram infectados também podem auxiliar na propagação do vírus, caso não tomem os devidos cuidados. Por isso é importante estar sempre higienizando as mãos, lavando com água e sabão ou com álcool 70%.


Em alguns outros países no mundo, o uso de máscara quando alguém está doente já era comum antes do surgimento da Covid-19. É o caso do Japão, cujos cidadãos aprenderam, desde o período da gripe espanhola (1918 - 1920), que o acessório é necessário para cuidar de si mesmo e de pessoas ao redor. No Brasil ainda há uma grande resistência ao uso da máscara, mesmo diante de um vírus tão avassalador.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon