Buscar

Maricá celebra o Agosto Dourado pelo aleitamento materno

O projeto é promovido pela Secretaria de Saúde do município

Thainá Pereira Caldas Guimarães amamenta e doa o leite excedente/Foto: Clarildo Menezes

A campanha Agosto Dourado, que apoia e incentiva o aleitamento materno foi lançada nesta sexta-feira 07/08, com previsão de ir até o dia 31/08. O projeto é promovido pela Secretaria de Saúde, através da Atenção Primária que, em suas 24 unidades nos quatro distritos (Ponta Negra, Centro, Inoã e Itaipuaçu), assiste atualmente 39 crianças em fase de amamentação. Neste ano, o slogan da campanha é “Amamentar é um ato ecológico”. 


Nas unidades de Saúde de Maricá, o incentivo ao aleitamento é permanente. O Hospital Municipal Conde Modesto Leal acumulou, em 2019, 1.019 mães que receberam auxílio e orientação. Já no primeiro semestre de 2020, 663 mães foram assistidas. Antes do período de pandemia da Covid-19, atividades educativas eram realizadas, semanalmente, no espaço, como as “visitas guiadas”, onde as gestantes visitavam a maternidade através de grupo, recebendo orientações interativas.  


A maternidade também apoia grupos de gestantes enviando profissionais para rodas de conversas, palestras e ações educativas voltadas para amamentação, parto e puerpério dentro do município. Uma dessas mães, cujo parto foi feito no HMCML em 22/06 é a dona de casa Bruna Macedo, de 37 anos. 

- Gabriel é meu terceiro filho. Os outros dois amamentei até os dois anos e com ele vou estender ao máximo também. As enfermeiras e médicas do Conde foram ótimas comigo. O leite materno é fundamental para o desenvolvimento, fico feliz por não ter tido dificuldade alguma para amamentar - pontua Bruna, mãe também de Igor, 12 anos e Arthur, 7. 


Segundo a coordenadora da Atenção Primária à Saúde, Angélica Duarte, ações integradas do pré-natal, assistência ao parto e pós-parto contribuem para fortalecer vínculos e garantir a adesão ao aleitamento materno, o alimento mais saudável para bebês e crianças.


- É um ato sustentável e ecológico, pois possui todas as características nutritivas necessárias para um bom desenvolvimento infantil, além de gerar economicidade no orçamento familiar e melhora do vínculo mãe-bebê”, explica Duarte. 


Dentro da campanha Agosto Dourado, nesta sexta-feira (07/08) a Secretaria inicia a sensibilização dos profissionais da Atenção Primária à Saúde sobre como melhorar o incentivo e o apoio a amamentação. Serão recebidos médicos, enfermeiros, pediatras, nutricionistas e os gerentes das 24 Unidades da Saúde da Família de Maricá, em pequenos grupos presenciais. 


- O leite materno já vem pronto e na temperatura certa. Não precisa preparar ou carregar e não tem custo. E para quem tiver dificuldade, é imprescindível uma rede de apoio. A amamentação foi, por anos e anos, romantizada, e é necessário informação e sensibilidade nesse momento da vida da mãe - avalia Solange Oliveira, obstetra e subsecretária de Saúde. 


A sala de coleta de leite materno e apoio à amamentação – que funciona como apoio ao banco de leite materno do Hospital Universitário Antônio Pedro, de Niterói – fica no Posto Central (R. Clímaco Pereira, 375, Centro). É aberta de segunda a sexta, de 8h às 17h, sob a responsabilidade da enfermeira Karina. O telefone para agendamento e dúvidas é 2637-3395. Em média, são realizados entre 80 a 130 atendimentos por mês.  


A nova mãe Thainá Pereira Caldas Guimarães, de 22 anos, não só amamenta a pequena Chloe, de 11 dias, como doa parte do seu leite.  


- Esse momento da minha vida está sendo abençoado, e me senti na obrigação de dividir meu leite com quem precisa. Produzo mais do que a Chloe consegue beber, não tinha porque não doar. No início, tive que aprender a amamentar, mas essa era uma decisão que eu tomei e iria até o fim. Sei que faz toda a diferença para a vida da minha filha - comenta Tainá, moradora do Boqueirão. 


É importante frisar que a amamentação é fundamental para os bebês prematuros e que nascem com baixo peso e não podem ser amamentados pela própria mãe. De acordo com o Ministério da Saúde, um litro de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. Dependendo do peso do prematuro, 1ml já é o suficiente para nutri-lo cada vez em que ele for alimentado. Toda mulher que amamenta é uma possível doadora. Basta ser saudável e não tomar nenhum medicamento que interfira na amamentação. Não há um volume mínimo para doação. 


O espaço também oferece tratamento de laser terapia para trauma mamilar, indicado para tratamento fissura mamaria (seios machucados), candidíase mamaria e outros problemas que possam surgir na amamentação.  Antes da utilização do laser são feitas consulta e avaliação.

 

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon