Buscar

Niterói inaugura Sala Lilás para mulheres vítimas de violência

Parceria entre prefeituras de Niterói e de Maricá, Justiça e Polícia Civil vai oferecer atendimento especializado e humanizado às mulheres agredidas

Prefeito rodrigo Neves inaugurou a Sala/Foto: Divulgação

Niterói inaugurou, nesta sexta-feira (14), uma Sala Lilás, destinada a prestar atendimento especializado e humanizado às mulheres vítimas de violência. O espaço funcionará no Posto Regional de Polícia Técnico Científica (PRPTC). É uma parceria entre as Prefeituras de Niterói e Maricá, Tribunal de Justiça do RJ e Secretaria de Polícia Civil. O local é equipado para realizar exames periciais e possui uma equipe multidisciplinar que fará o acompanhamento de meninas e mulheres nos exames. A equipe é formada por policiais, assistentes sociais, enfermeiras e psicólogas e está capacitada para acolher e promover um atendimento especializado. Dessa forma, a integração dos serviços, além de deixar a vítima mais à vontade para relatar a violência sofrida, visa a orientar para buscar ajuda junto à Rede de Atendimento à Mulher dessas duas cidades.

- Eu não tenho dúvidas que a inauguração da Sala Lilás será um marco nesse esforço de superação da situação de violência contra a mulher. Neste equipamento nós teremos a possibilidade de um acolhimento muito mais humano e amoroso para mulheres e crianças - afirmou o prefeito Rodrigo Neves. A Sala Lilás possui, ainda, ambientação mais acolhedora e aconchegante, desenvolvida com o objetivo de dar suporte às vítimas que estão em momentos de extrema fragilidade física e emocional. A primeira-dama de Niterói, Fernanda Sixel, ressaltou a importância da Sala Lilás para uma abordagem mais humana e afetuosa para mulheres e crianças vítimas de violência. - A parceria estabelecida pelas prefeituras, Tribunal de Justiça e Polícia Civil permite que, em um momento tão difícil como o atual, seja possível trabalhar a amorosidade, a acolhida e o afeto, como ferramenta para provocar as mudanças que são necessárias na sociedade - destacou Fernanda Sixel. A Coordenadora de Direitos da Mulher, Karina de Paula, lembrou que o espaço vai minimizar o impacto da violência contra a mulher e terá um papel importante e orientação também. - Esse projeto visa a minimizar o impacto da violência e da revitimização das mulheres e meninas no momento do atendimento para coleta de provas materiais dos atos de violência sofridos e que comporão parte do trâmite processual da ocorrência registrada na delegacia. Além disso, a equipe cumprirá um papel importante na orientação a essas mulheres, tanto para os serviços de apoio quanto para a profilaxia, essencial para crimes de natureza sexual e que é realizada somente nos hospitais. Serve para evitar o contágio por infecções sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada - explicou Karina. A juíza Juliana Cardoso, que representou o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, falou sobre o valor de um projeto que tem a mulher como causa. - Esse projeto tem como objetivo a escuta acolhedora da mulher e meninas que sofrem violência doméstica. Espero que seja o primeiro de muitos outros projetos nesse sentido - afirmou a juíza. A delegada Nádia Abrahão, diretora-geral de Polícia Técnico-Científica do estado do Rio, ressaltou o trabalho integrado para que o equipamento fosse entregue. - Isso mostra que a verdadeira segurança pública não se faz só com o trabalho das polícias. Para termos o conceito de segurança cidadã é necessária a integração entre entes federados, instituições do estado e a população. E dessa forma conseguimos grandes avanços - afirmou a delegada. Participaram da solenidade a secretária de Políticas Para Mulheres do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Camila Rodrigues, a secretária municipal de Fazenda de Niterói, Giovanna Victer, o secretário de Direitos Humanos de Maricá, Antônio Carlos, a coordenadora de Política Para Mulheres de Maricá, Luciana Piredda, a delegada de Polícia Civil, Raissa Celles, a representante do Conselho Municipal de Políticas Para Mulheres, Marisa Vargas, o presidente do Conselho de Segurança de Niterói, Moacir Chagas, o diretor geral do Posto Regional de Polícia Técnico-Científica, Luiz Alberto, a delegada titular da Deam-Niterói, Aurian Fernandes, e o chefe da Polícia Federal de Niterói e Leste Fluminense, Wanderson Pinheiro.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon