Buscar

Notícias Falsas – Fake News e alguns dos seus atores, por Oswaldo Mendes


Crédito: Reprodução

Errar é “umano”, mas imprudência, imperícia e negligência podem ser encontradas no Código Penal Brasileiro. Note que talvez considere aceito errar aquele que não está nas mãos de um piloto ou na mesa de cirurgia, mas tome decisão contrária ao ver um amigo numa fila do banco e assim pedirá para que ele pague seu carnê.


Vivemos num momento ímpar para a humanidade: uma pandemia, o retorno da extrema direita em diversos pontos do mundo e o uso da tecnologia para alcançar qualquer objetivo.


As notícias falsas, denominadas de “Fakes News”, acompanham a Humanidade, principalmente em tempos de guerra, onde a primeira coisa que desaparece é a verdade. Estamos em guerra, sabiam? A verdade é, e sempre será, proporcional ao conhecimento de cada um. Cada um tem a sua verdade. Adicione a isso o caráter, dogmas, a formação, o meio.


Leite com manga, Kit Gay, uma candidata a Prefeita com roupa de Mãe de Santo a uma semana da eleição são casos da nossa história, que terminaram com prejuízo a uma das partes e em alguns casos além de não ter os culpados punidos tiveram a condição de não poder se contornar. Irreversível e sem punição: um alento e vitória aos “sem limites”.


Mas qual o perfil das pessoas que emitem notícias falsas? Como agem e o que buscam?


Com o advento cada dia maior das redes por todos, a baixa qualificação da população, indefinições e frustrações pessoais, predefinições a temas e objetivos difusos, nos levam a ter que repensar as mídias e seus efeitos na Sociedade.


Valores. Talvez seja essa a grande definição. Valores éticos e morais. Qual é o seu preço? O que faria ou aceitaria para alcançar seu objetivo?


Note que existem diversos tipos de emissores de notícias falsas – FAKE NEWS, dentre eles o de boa-fé, dogmas, néscio e de má-fé. É preciso identificar quando o sujeito, ator, está predisposto a um resultado, um objetivo, e logicamente não são todas as verdades que lhe interessam, mas o grande cerceador é o caráter do indivíduo.


O Pesquisador(cientista denominado popularmente), o analfabeto-funcional, o profissional liberal, o néscio, o religioso e o estelionatário tem reações diferente quanto à verdade. Todos a tem sua verdade, porém nem todos não a consideram, conforme seus objetivos a atingir e caráter.


Através de elementos de estatística os dados de gostos, medos, fraquezas e opções, de todos os tipos, são guardadas cada vez que o cidadão acessa a internet. Inicialmente isso era para ter retorno financeiro, para direcionar e oferecer aquilo que ele pesquisava. Com o tempo, jogos simples como os denominados ‘QUIZ”, por exemplo, não só davam ao quem acessasse uma nota, guardava os dados. Esses dados foram furtados e com o perfil das pessoas era só direcionar as mensagens para o público-alvo correto. A mensagem certa para quem queria recebê-la. Atingir a fraqueza e medos de uma pessoa com a mensagem certa e coloca-la em grupos de mesma fraqueza para que a mesma fosse “exponencializada”.


Os medos e fraquezas das pessoas são gerenciadas e utilizadas para atingir os objetivos de grupos.


Um mundo ainda inexplorado e sem limites, nem leis. Aquilo que você recebe na verdade é sua imagem. Sistemas neurais.


A pós-verdade não pode ser vista apenas como uma moda, uma onda. É a nova realidade. As regras de Machiavel estão muito válidas, mas adequadas ao momento. Levar vantagem em tudo ou os fins justificam os meios.


Teremos dentro de alguns dias uma nova eleição e assim a chance de ver o caráter das pessoas sendo apresentado, mas muito dificultado quando essas pessoas se escondem atrás de pasquim, sem a devida identificação, com matérias sem fontes confiáveis, direcionadas somente a um objetivo pessoal ou de um pequeno grupo.


Lembremo-nos que ainda muitas pessoas aceitam e continuarão aceitando frases como: ”Se um príncipe mata ou outros, isto não interessa. O que interessa é que a história vai contar quem foi Rei”.


Imaginem uma pessoa com pré-disposição a uma postura política sendo bombardeada dia e noite de informações advindas de sites, os quais são montados para passar maior confiabilidade ao público, que tem todo o perfil do usuário do computador, com notícias de interesse de um grupo? A coisificação das pessoas. Elas são objetos de uma máquina. A máquina direciona o ser humano. Bem-vindo ao futuro.


Incrível ver pessoas presas dentro de máquinas, como nos antigos filmes de ficção científica, mas olhem em volta.

Oswaldo Mendes é engenheiro.




MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon