Buscar

O casamento de Brigite, por Fábio Rodrigo

Atualizado: 5 de Ago de 2019


Brigite era uma linda cachorrinha maltês. Seus donos a tratavam a pão-de-ló. Eles sonhavam em casá-la. Isso mesmo: casá-la. A única dúvida era o complemento indireto. Casá-la com quem? O noivo deveria ser escolhido a dedo. Não podia ser um cachorro qualquer. Tão depressa providenciaram um macho pra ela. Era um lindo maltês de pelo comprido, adquirido com um preço bem acima do valor de mercado.


No dia do casório, os convidados chegavam com seus cães de estimação. O noivo, com seu terno fraque, esperava por Brigite no altar. Brigite finalmente entrou no recinto. Estava muito elegante. A cauda do vestido não impedia sua locomoção. Diga-se de passagem, o vestido era de muito bom gosto. Havia sido arrematado em um leilão. A cerimônia é iniciada. Os convidados se acomodavam para acompanhar o discurso do celebrante. No entanto, o latido da cachorrada era tanto que quase não era possível ouvir as palavras proferidas por ele.


Brigite enfim estava casada. Uma chuva de pétalas de rosa acompanhavam o cortejo dos noivos. Ao lado deles, seus donos estavam muito emocionados. Após a cerimônia, a festa teve início. De entrada, eram servidos os canapés, que lembravam a forma da pata canina. Enquanto isso, os cães dos convidados comiam alimentos especialmente preparados para eles. O lindo bolo, em forma de osso, ganhava destaque bem ao centro do lindo e glamouroso salão de festas.

Houve um princípio de confusão quando um dogue alemão tentou avançar em uma poodle que estava solta. Os donos de cada cachorro também se estranharam por causa disso. No outro canto do recinto, um pitbull se atracou com outro, provocando ferimentos em ambos. Uma veterinária, que estava de plantão no casamento, providenciou os curativos. A cerimonialista a todo momento orientava os convidados a fim de evitar o tumulto com a cachorrada.


A cerimônia caminhava para o fim. Muitos convidados já começavam a ir embora. Os donos de Brigite estavam satisfeitos. Sem sombra de dúvida, a festa havia sido impecável. Ganhou até destaque na coluna social de um dos principais jornais da cidade. A alta sociedade carioca estava presente. Portanto, não podia ser uma festa chinfrim. Meses depois, os donos de Brigite descobriram que ela estava grávida. A partir de então já começaram a planejar seu chá de bebê. E não será um chá de panela qualquer. Afinal, terá que ser à altura de seus convidados.

Fábio Rodrigo Gomes da Costa é professor e mestre em Estudos Linguísticos.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon