Buscar

O voto mais perigoso para São Gonçalo, por Mário Lima Jr.


Foto: Reprodução

Há pelo menos dois candidatos à Prefeitura de São Gonçalo que o povo reconhece como milicianos ou assassinos. O eleitor mais ingênuo, sem formação educacional, e o intelectual gonçalense mais afiado conhecem bem esses candidatos. Eles não deveriam ter conquistado a fama política que têm. Não poderiam disputar o governo da segunda maior cidade do Rio de Janeiro. Alcançaram seu prestígio através de histórias antigas de morte, suborno e extorsão que circulam pelos quatro cantos do município. Verdadeiras ou não, seus eleitores esperam ansiosos uma guerra santa entre a milícia e o tráfico de drogas, como se o resultado dessa disputa não fosse, inevitavelmente, sujo e criminoso. Ou sonham com um emprego num postinho de saúde. Muitos votam por medo, estupidez e ignorância, vítimas que abriram mão da sua dignidade.


Embora sejam candidaturas legítimas, deferidas pelo Tribunal Superior Eleitoral, as razões corruptas por trás do voto, quase unânimes, são incapazes de contribuir na construção de uma cidade socialmente justa e moderna. Além do mais, o espírito popular faz toda a diferença nos rumos municipais, um homem ou mulher sentada sozinha na cadeira branca, alta e macia instalada na Prefeitura tem poderes limitados.


Não é coincidência que os votos mais perigosos para São Gonçalo pertençam a candidatos que fugiram dos debates políticos promovidos por instituições municipais. Que não estiveram presentes na série de entrevistas organizada pelo Fórum Gonçalense de Cultura. Um matador é incapaz de refletir sobre a construção de políticas públicas para os jovens que sobrevivem sem educação de qualidade e sem opções de esporte, lazer e arte. Um miliciano não sabe agir diante de uma pergunta inesperada, que envolva conhecimento das vocações regionais, estudo científico e amor por São Gonçalo. Ambos só conhecem o ódio, o rosnado, o grunhido. O eleitor que aguarda um banho de sangue nas comunidades dominadas sabe disso, por isso seu voto individualista é perigoso. Se o cargo for dele, a cidade inteira pode pegar fogo, ele não se importará.


Neste domingo, 15 de novembro, São Gonçalo estará diante de sete candidatos e dois abismos. Caso a escuridão vença, no primeiro ou no segundo turno, assistiremos quatro anos de vergonha em que qualquer mal, por iniciativa do próprio governo, poderá acontecer e estará justificado. Porque estará eleito em nossas mentes, no nosso íntimo, o crime em pessoa. Quem terá coragem de contestar um ato de corrupção de um prefeito considerado acima da lei, colocando em risco a própria vida?


Páginas nas redes sociais com centenas de milhares de seguidores estão sendo usadas nesse momento na divulgação de notícias falsas, a favor dos candidatos que inspiram medo. Suas chances nessa eleição são bastante reais. Como vencê-los? Criando uma cidade decente para todos, inclusive para aqueles que só pensam em si mesmos.

Mário Lima Jr. é escritor.



MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon