Buscar

Policial que matou esposa era agressivo, relatam testemunhas à DH

Antes de ser assassinada, vítima pediu a ajuda da mãe para ser levada à delegacia e ao hospital

Crime ocorreu no dia 23 de setembro/Foto: Reprodução Facebook

Os depoimentos do caso referente ao policial Militar Leandro Alves de Siqueira, de 37 anos, acusado de matar sua esposa, Priscilla da Veiga Freitas, de 31 anos, de atirar contra os seus sogros e de atentar contra a própria vida, foram enviados ao Ministério Público hoje (8). As informações foram divulgadas pela Delegacia de Homicídios de Niterói (DHNSG).


Os crimes ocorreram na madrugada do último dia 23, no bairro Zé Garoto.


Segundo testemunhas ouvidas pela DH, o policial apresentava comportamento agressivo e violento, e as brigas entre o casal eram constantes. Os depoimentos revelam, ainda, que nos momentos que antecederam a tragédia, a vítima pediu ajuda da mãe para ser levada ao hospital e posteriormente à delegacia para denunciar as agressões que sofria do marido.


Leandro, que está à disposição da justiça no Batalhão Especial Prisional (BEP), da Polícia Militar, no Fonseca,  era lotado no 7º Batalhão (São Gonçalo). Ele chegou a prestar depoimento sob efeito de medicamentos no dia 28 de setembro DH, que não foi aproveitado.

- Nós possivelmente o escutaremos de novo, porém diante da clareza das imagens das câmeras de segurança do local do crime, há a possibilidade dele ser ouvido apenas em juízo - informou o delegado Leonardo Affonso, atualmente responsável pelo caso.


A Corregedoria da Polícia Militar também acompanha o caso.


O corpo de Priscilla Freitas foi sepultado no mesmo dia do crime, no Cemitério Municipal de São Gonçalo, no Camarão. Ela deixou quatro filhos.


A sogra do policial, Valéria Vieira, 53 anos, continua internada no Heat, com estado de saúde estável. Já o sogro do acusado, Marcelo de Almeida, 47, já teve alta do Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG).


Segundo a Polícia Civil, antes do assassinato houve uma discussão dentro do carro do casal, quando o policial arranca com violência o brinco da orelha da mulher.


A discussão continua fora do automóvel, na garagem da casa dos sogros, que tentam intervir na briga, quando Leandro volta ao carro e pega a arma disposto a matar a esposa.


A sogra entra na frente para evitar que a filha seja atingida e acaba recebendo os primeiros disparos. Depois foi a vez de Priscilla ser atingida no peito. Marcelo, companheiro de Valéria, é atingido logo depois.


Finalmente Leandro atira duas vezes contra si, na altura do peito, numa tentativa frustrada de se matar.


A arma utilizada nos crimes não foi encontrada. 


Com informações de A Tribuna.




MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon