Reformulado, Serviço de Acolhimento Familiar é reinaugurado em São Gonçalo

Atendimento oferecido no município é referência no País

 Cristiane Campos, coordenadora do SAF, ficou responsável por reestruturar o equipamento/Foto:
Cristiane Campos, coordenadora do SAF, ficou responsável por reestruturar o equipamento/Foto:

A Secretaria de Assistência Social promoveu, na manhã desta quarta-feira (21), a reinauguração da sede do Serviço de Acolhimento Familiar (SAF), no bairro Venda da Cruz. O serviço oferece acolhimento dirigido a crianças em vulnerabilidade, de 0 a 6 anos, afastadas de suas famílias de origem por medida de proteção e que são encaminhadas para famílias acolhedoras previamente cadastradas.



Por conta do serviço de excelência desenvolvido, o Serviço de Acolhimento Familiar no município é considerado referência no Brasil. O papel mais importante da Assistência Social, no que diz respeito ao acolhimento familiar, é garantir um ambiente familiar e fortalecer a função protetiva da família de origem, além de possibilitar a convivência comunitária e o acesso à rede de políticas públicas. Tudo isso se efetivará através dos encaminhamentos aos diversos serviços, programas e projetos existentes no município”, disse o secretário de Assistência Social, Edinaldo Basílio.



O Serviço de Acolhimento Familiar é responsável por selecionar, capacitar, cadastrar e acompanhar as famílias acolhedoras, bem como realizar o acompanhamento da criança acolhida e as famílias de origem, com uma equipe formada por assistente social, psicólogas e educadores sociais. A proposta é acolher e tornar novamente possível a convivência familiar e comunitária. Durante o acolhimento, tanto as crianças quanto a família de origem e a família acolhedora recebem apoio e orientação da equipe técnica da secretaria.


A reforma - realizada com doações de diversas secretarias, fruto da integração entre as pastas - foi feita na sala da equipe técnica, de coordenação, de atendimento individual das famílias e no salão de convivência.


Fizemos uma reformulação tanto na parte estrutural quanto na parte técnica e metodológica do serviço. As modificações fizeram com que toda equipe do SAF ficasse ainda mais fortalecida na garantia de direitos das crianças e adolescentes de São Gonçalo”, declarou Cristiane Campos, coordenadora do SAF.

A proposta do serviço é acolher e tornar novamente possível a convivência familiar e comunitária. Diferente do abrigo institucional, as crianças convivem com a família o tempo todo, de uma forma mais humanizada.



O trabalho desenvolvido pelo SAF é de extrema importância para o município. Durante o tempo em que tive acesso aos abrigos de porta e as famílias acolhedoras, pude perceber a enorme diferença na vida de uma criança que tem a oportunidade de ser acolhida. O melhor serviço de acolhimento é o Família Acolhedora. Vamos trabalhar para continuar com a excelência oferecida”, disse o subsecretário de Proteção Especial, Allan Rodrigues.


Atualmente, o Família Acolhedora em São Gonçalo conta com 23 crianças e 16 famílias já cadastradas.



Pré-requisito para ser uma família acolhedora:

- Pessoas maiores de 25 anos, que possuam uma rede de apoio;

- Não estar no cadastro nacional da adoção e nem o cônjuge (lei 13257/2016);

- Ter a concordância dos outros membros da família na participação;

- Não ter antecedentes criminais, comprometimento psiquiátrico e dependência alcoólica ou de substâncias psicoativas;

- Ter disponibilidade de tempo, tanto nos cuidados com a criança quanto com as demandas para acompanhamento da equipe do serviço;

- Comprometer-se em exercer a função de proteção até o encaminhamento da criança;

- Apresentar disponibilidade interna para se preparar continuamente para o momento da despedida.


MALUGA_2.jpg
QV1.jpg
Banner_300x250_Homem.gif