Buscar

Servidores de SG recebem capacitação sobre Patrulha Maria da Penha

Atividade foi direcionada para profissionais da área da Educação

O secretário de Educação Marcelo Azeredo participou das palestras/Foto: Divulgação

O município de São Gonçalo avança no combate à violência contra a mulher. Depois de celebrar uma parceria com o Tribunal de Justiça e a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro para que sejam realizadas palestras nas escolas sobre o tema, o município promoveu, através da Secretaria Municipal de Educação, uma tarde de capacitação para diretores, orientadores e professores da Rede Pública Municipal de Ensino, com a finalidade de prepará-los para orientar possíveis vítimas a procurar a ajuda necessária junto aos órgãos competentes.

Ao abrir o evento, na tarde da última quarta-feira (30), o secretário municipal de Educação, Marcelo Azeredo, ressaltou que a inserção do projeto nas escolas é um marco para o município. “São Gonçalo é um dos primeiros municípios a aderir a esse trabalho e vamos iniciar nas escolas. Nós temos aqui ainda a Secretaria Municipal de Políticas para o Idoso, Mulher e Pessoa com Deficiência, Secretaria de Desenvolvimento Social e a Secretaria de Saúde, que participam com a Secretaria de Educação deste trabalho”, afirmou Marcelo, que estava também representando o prefeito José Luiz Nanci. “Estamos aqui graças ao nosso prefeito, que aderiu ao projeto e nos convidou imediatamente para colocá-lo em prática”, continuou o secretário.

Segundo Marcelo, começando pelas escolas o projeto alcançará todas as camadas do município, do Centro até as áreas mais distantes. “Os diretores, orientadores, professores, pedagogos serão atores muito importantes nesse processo porque é quem vai junto com as equipes do Tribunal de Justiça, Polícia Militar e demais secretarias municipais fazer com que ele possa acontecer. O projeto vai entrar no nosso calendário porque a violência contra a mulher é algo que a sociedade não suporta mais”, afirmou o secretário.


A primeira palestra ficou a cargo da psicóloga Adriana Lins, do Centro Especial de Orientação à Mulher (CEOM). Ela falou sobre os diversos tipos de violência contra a mulher e de que maneira os ciclos acontecem. Durante 50 minutos, as mais de cem pessoas participantes do encontro ouviram atentas às explicações da psicóloga. A segunda palestra foi proferida pela assistente Social do Tribunal de Justiça, Simone Cosendey. Segundo ela, o projeto veio acrescentar e muito ao trabalho dentro do Judiciário. Ela falou sobre a trajetória da violência doméstica dentro do município e lembrou que antes da Lei Maria da Penha, na grande maioria dos casos a pena para o agressor era o pagamento de uma cesta básica. Para fechar o encontro, os cabos Michel e Luzimar, representantes da Polícia Militar, falaram sobre o projeto, os ciclos de violência e de que maneira é possível ajudar as vítimas.


O projeto “Patrulha Maria da Penha – Guardiões da Vida” é um programa estratégico, concebido através de parceria com o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, para prestar atendimento estruturado e especializado aos casos de violência doméstica em todo território estadual.


Também estiveram presentes a secretária de Políticas Públicas para Mulher, Idoso e Pessoa com Deficiência, Marta Maria Figueiredo, o subsecretário de Planejamento Educacional, Fernando Peres, a subsecretária de Educação Infantil e Inclusão, Tatiana Félix, e a subsecretária de Ações Pedagógicas, Gisele Herdy Dutra.



MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon