Buscar

SG ganha centro de acolhimento para crianças e mulheres vítimas de violência

Equipamento é fruto de parceria entre estado e município


Um espaço lúdico para acolher e realizar atendimentos especializados a crianças, adolescentes e mulheres vítimas de violência, em uma instituição hospitalar pública. Esta é a proposta do Centro de Acolhimento ao Adolescente, à Criança e à Mulher Vítima de Violência (CAAC Lilás +), projeto pioneiro no Brasil, desenvolvido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Saúde (SES), em parceria com o Ministério Público e Polícia Civil. São Gonçalo foi escolhida para receber o segundo centro do projeto, previsto para ser inaugurado até o final do ano, no Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. O primeiro foi inaugurado na última sexta-feira (6), no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias.


- Ter o CAAC Lilás + no nosso município é uma conquista muito importante para São Gonçalo. Essas crianças e mulheres vítimas de violência merecem e precisam de todo o nosso carinho, acolhimento e atenção. Será mais um equipamento para somar a nossa rede de proteção às mulheres, e por ser dentro de um hospital, vai garantir um atendimento mais prático e completo a essas vítimas. Nós, enquanto governo, seguimos firmes na busca do enfrentamento à violência - afirmou o prefeito José Luiz Nanci.

São Gonçalo é o quarto município do Estado do Rio de Janeiro em números de denúncias de violência contra a mulher. Em 2018 foram contabilizados 1628 casos de lesão corporal, 229 casos de estupro, 1.561 de ameaça e 1.160 casos de violência moral, de acordo com dados do Dossiê Mulher 2019. Segundo o  secretário Estadual de Saúde, Edmar Santos, o atendimento multidisciplinar será essencial no atendimento às vítimas.


- A criação destes espaços beneficiará crianças, adolescentes e também mulheres vítimas de violência. Um espaço para o acolhimento de toda a família, fator importante em caso de violência doméstica. Em um único ambiente, será realizada a queixa, o exame de corpo de delito e o atendimento médico. A escolha dos locais é importante como política pública, já que a Baixada Fluminense e a região de São Gonçalo são as que registram mais casos - explica.


A estrutura do centro vai contar com uma recepção e espaço lúdico com brinquedos e aparelho de TV para que os usuários se sintam acolhidos, além de uma sala destinada ao depoimento especial, ou seja, uma sala oitiva com tratamento acústico e sistema de áudio e vídeo, para que todos os depoimentos sejam gravados e arquivados, garantindo a preservação e o sigilo das informações. No consultório será realizado o exame de corpo de delito por perito médico da Polícia Civil.


O atendimento no CAAC Lilás + será através de agendamento pela Polícia Civil ou pela demanda espontânea de atendimento na emergência da unidade. Uma equipe multidisciplinar formada por assistentes sociais, enfermeiras, médicos e policiais civis capacitados para os atendimentos especializados.


No último mês, a subsecretária de Políticas Públicas para a Mulher, Andréa Machado, esteve em reunião junto aos órgãos responsáveis pela implantação da medida protetiva pioneira a esta parcela da população. 


- A vinda do CAAC Lilás + vai trazer um atendimento especializado e humanizado às vítimas de violência física e sexual do nosso município. A integração dos serviços visa ajudar as vítimas a se sentirem mais à vontade para relatar e falar sobre a violência sofrida. É dar às crianças, adolescentes e mulheres um apoio nos momentos de extrema fragilidade física e emocional - diz Andréa. 


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon