Buscar

SG realiza ação pelo Dia Nacional do Combate ao fumo

O tabagismo é responsável por 63% das mortes relacionados às doenças crônicas não transmissíveis

O tabagismo é a maior causa de morte evitável no mundo. Nesta quinta-feira (29), Dia Nacional do Combate ao Fumo, a Secretaria Municipal de Saúde, junto à Secretaria de Políticas Públicas sobre álcool e outras drogas, realizou ações simultâneas no Polo Washington Luiz e na Praça Doutor Luiz Palmier, no Centro. 


A data tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco. Criada em 1986 pela Lei Federal 7.488, inaugura a normatização voltada para o controle do tabagismo como problema de saúde coletiva. Em São Gonçalo, através do Programa de Controle do Tabagismo da Secretaria de Saúde, que oferta cuidado e prevenção, só este ano mais de 600 pessoas foram assistidas. 

- Essas datas pontuais são importantes para divulgar que existe tratamento e onde ele acontece. É fundamental falar e informar sobre o fumante passivo, a indústria do tabaco investindo cada vez mais na população mais jovem. É uma data de muita luta e trabalho - afirmou Juliana Galdino, enfermeira e coordenadora do Programa.  


No programa as reuniões acontecem quatro vezes por mês, em pequenos grupos nos equipamentos da rede e, dependendo da quantidade de consumo, o paciente é direcionado ao tratamento gratuito onde é disponibilizado o adesivo de reposição de nicotina, o medicamento e ainda o chiclete de nicotina. Cada pessoa tem um tratamento direcionado e especificado. O acompanhamento é prolongado e ao longo do tempo, conforme cada um responde ao tratamento, o desmame é realizado gradativamente. 


"O primeiro passo para começar o tratamento é o querer, é criar a possibilidade. É um tratamento que não se faz sozinho, e sim em grupo, fazendo com que cada pessoa partilhe sua experiência e possa ouvir e se fortalecer com outras também. É importante conscientizar porque existe tratamento!", disse a enfermeira do Washington Luiz, Roseli Alves. 


O tabagismo é responsável por 63% das mortes relacionados às doenças crônicas não transmissíveis. Dentre elas estão doença pulmonar crônica (bronquite e enfisema), diversos tipos de câncer (pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga, colo de útero, estômago e fígado), doença coronariana (angina e infarto) e doenças cerebrovasculares (acidente vascular cerebral).  


A cuidadora de idosos, Tatiana Barbosa, de 40 anos, moradora do Colubandê, que participou da ação, perdeu o pai por conta do uso excessivo de cigarro. 


- Ações como essa são muito importantes e devem acontecer mais, principalmente com os jovens, que iniciam o uso do cigarro cada vez mais cedo. Perdi meu pai por isso, e não desejo a ninguém - relatou. 


Para Fábio José da Silva, secretário de Políticas Públicas para álcool e outras drogas, o trabalho intersetorial reflete em mais acesso para a população e aproxima ainda mais o serviço público das pessoas. 


- Essa parceria está sendo fundamental, e estamos avançando na cidade e ampliando o alcance do nosso trabalho. Junto ao Programa de Tabagismo também temos focado na formação dos profissionais, além das nossas redes com a Fiocruz, a Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas e outras instituições que seguem nessa luta por uma vida melhor com a participação da sociedade civil - disse.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon