Buscar

Subsecretário de Posturas é agredido em Alcântara

Atualizado: Abr 23

Polícia irá recorrer a imagens de câmeras da região para chegar ao agressor, que não foi identificado


Por Cláudio Figueiras

Fernandes foi golpeado na cabeça e ficou desacordado/Foto: Divulgação

O servidor de carreira e subsecretário municipal de Posturas, Everson Fernandes, foi agredido fisicamente nesta terça (22), em Alcântara, durante operação de fiscalização da Secretaria de Segurança Pública em restrição ao funcionamento não autorizado do comércio no bairro.


O caso ocorreu por volta das 10 horas, na altura do número 79 da Rua Palmira Ninho, quando uma equipe da Posturas fazia o recolhimento de barracas inativas irregulares, com ajuda da Guarda Municipal e da Polícia Militar.


Segundo Fernandes, no momento da agressão - em meio a uma atmosfera tensa, mas não muito diferente da rotina de trabalho - um grupo de ambulantes se aproximou dele pedindo informações sobre o retorno das atividades comerciais não essenciais no bairro, proibidas por decreto desde março, como uma das medidas da Prefeitura em conter a propagação do coronavírus e a infecção da Covid-19 na cidade.


Um homem, não identificado, se aproximou por trás de Fernandes e o golpeou com um soco na cabeça, na região da nuca. Ele caiu imediatamente, e por alguns segundos ficou desacordado, enquanto os agentes vinham em seu socorro, dispersando a pequena aglomeração que se formara na rua após o ato violento.


- Foi tudo muito rápido. As pessoas queriam informações. Senti a pancada como se fosse um choque na nuca. Os colegas (da Posturas) viram a cena e vieram correndo para a minha direção. Nesse momento houve a dispersão. Alguns ambulantes lamentaram o ocorrido e até sinalizaram quem podia ser o responsável pela agressão. Mas prefiro esperar o trabalho da polícia. Estamos fazendo apenas o nosso trabalho em favor de todos, pela vida. Não queremos prejudicar ninguém - disse Fernandes ao Jornal Daki, já em casa após o susto.


A polícia irá recorrer às imagens das câmeras instaladas na vizinhança para fazer o reconhecimento do agressor, que fugiu do local. Fernandes, que preferiu não ter atendimento médico na ocasião, fez Boletim de Ocorrência (BO) na 74ª DP, que fica em Alcântara.


A violência física contra servidores públicos é crime previsto nos artigos 129 e 331 do Código Penal, com penas que podem variar de 6 meses a dois anos de detenção, mais multa.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon