Buscar

Texto básico sobre a censura, por Rafael Abreu


Quem já foi censurado alguma vez na vida, sabe que a censura é uma grande violência.


Ela violenta o seu direito de pensar, de se manifestar e de se expressar livremente.


Chico Buarque de Holanda que o diga, o cantor e compositor, que é um dos grandes expoentes da nossa MPB, teve diversas obras censuradas pela ditadura militar.


Ele chegou a criar pseudônimos para tentar burlar a censura.


A situação de Chico havia chegado a tal ponto, que os censores nem se davam ao trabalho de avaliar as suas composições. 


Bastava que a autoria fosse dele para uma canção ser proibida.


Os censores utilizavam critérios morais e políticos, para censurar uma obra de arte, um espetáculo, uma simples canção ou poesia e até mesmo os telejornais do país.


Os militares regulavam tudo que se passava, assistia ou comentava.


E todos aqueles que eram taxados de subversivos e opositores ao regime militar, sempre recebiam uma atenção especial e iam parar no DOI-Codi (Órgão especialmente criado para torturar e matar civis inocentes, covardemente, só por se oporem a ditadura)  o Rio de Janeiro chegou a ter nove pontos de tortura na ditadura militar.



Quem comandava o DOI-Codi era o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra. Torturador homenageado e adorado por Bolsonaro, que inclusive o citou, antes de declarar o seu voto a favor do golpe que destruiu o Brasil e arrasou a nossa economia, por destituir do poder, uma presidente honesta, legitimamente eleita pela maioria do povo brasileiro.


Aquilo foi  pavoroso, repugnante e cruel.


Pois o Ustra, foi o torturador da então presidente Dilma Rousseff.


Bolsonaro inclusive, durante uma entrevista que concedeu ao canal aberto, em rede nacional, disse que se fosse presidente fecharia o congresso, mataria uns 30 mil, começando pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.


Me espanta que em uma Democracia, ele não tenha sido preso por isso.


Surfando na crista da onda do governo fascista de Jair Bolsonaro, vem o Governador Wilson Witzel e o prefeito do Rio Marcelo Crivella, prefeito esse que na última bienal do livro tentou censurar uma HQ (História em Quadrinhos) dos Vingadores da Marvel.


Segundo Crivella o quadrinho era impróprio para menores, por apresentar dois personagens masculinos se beijando, isso para o pastor e então prefeito da igreja Universal, foi uma afronta aos valores morais. Ele então resolveu censurar o beijo gay de um quadrinho, no intuito de proteger as nossas crianças.


Olha que absurdo! 


A que ponto nós chegamos...


As nossas crianças deixam de estudar por falta de segurança.


Dormem e acordam com os barulhos de tiros, brincam com o esgoto a céu aberto, não tem acesso a uma Saúde de qualidade, a Educação Pública não é digna e por pura sabotagem do sistema, forma uma mão de obra alienada, sem  acesso a Cultura, mas com religião e valores "morais".


Esse cara não sabe nem distinguir a diferença de moral e ética, mas resolveu censurar um beijo gay em uma HQ, com a pachorra de que estaria supostamente defendendo as nossas crianças de se tornarem gays.


Francamente prefeito... o senhor merece tomar um "pedala" pra vê se acorda pra vida e pra realidade.


Não existe cura, para aquilo que não é doença!


Você acha mesmo que alguém escolhe ser gay por modismo, em uma sociedade altamente preconceituosa e segregadora como a nossa?


As pessoas nascem e crescem cada um com a sua individualidade, por isso somos categorizados como indivíduos e merecemos ser respeitados com todas as nossas diferenças.


Para os retrógados e conservadores, o diferente é ofensivo e gera repulsa.


Para nós, progressistas, devemos respeitar a individualidade de cada um.


Eu posso discordar de você, mas eu vou continuar lutando pela sua liberdade de expressão e pelo seu direito de ir e vir.


É proibido proibir!


Abaixo a censura e todo o resquício de ditadura.


Que toda forma de amor possa ser expressada livremente.


Não podemos nos calar mediante a tanta opressão, pois quando resolvermos lutar, já será tarde demais.


Eu sou Rafael Abreu, colunista do Daki.

Rafael Abreu faz análises de conjuntura política nacional às quartas no Jornal Daki.

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon