Buscar

Uma história mal contada, por Fábio Rodrigo


Lucimar estava decidida: iria mesmo pôr fim a seu casamento de 15 anos. Não havia mais motivos para permanecer casada após saber que seu marido havia saído de um motel de carro com uma mulher.


‒ Eu posso explicar, meu bem.


‒ Eu não quero explicações, Reginaldo. Desapareça da minha vida! ‒ disse raivosa.

E não quis saber mesmo de nenhuma explicação. Enquanto ele enchia a cara no bar para afogar as mágoas, Lucimar chorava nos ombros das amigas. “Eu nunca imaginei que ele fosse fazer isso comigo”, disse ela aos prantos. “Eu sempre desconfiei dele. Homem muito quieto assim é um perigo”, dizia uma das amigas. “Homem é tudo igual mesmo”, emendou outra amiga.

Reginaldo nunca tinha dado motivos para desconfiança de sua esposa. Sempre muito amoroso com Lucimar, demonstrava ser um ótimo marido. Era acima de tudo um pai de família exemplar além de um profissional extremamente dedicado. Reginaldo queria explicar a sua esposa que tudo não passava de um mal-entendido. Segundo ele, ele foi ao motel buscar uma antiga funcionária de sua empresa, que atualmente trabalha em uma filial em outro estado. Esta funcionária foi chamada por Reginaldo para uma reunião urgente. Como não conseguiu vaga para se hospedar em um hotel, teve que passar a noite em um motel próximo. Reginaldo se ofereceu de buscá-la no motel para levar até a empresa. Até os amigos de Reginaldo acharam a história muito mal contada. Mas não duvidaram do amigo. Funcionários de Reginaldo até o momento não confirmaram que houve a tal reunião.



Apesar de ter achado estranho Reginaldo sair de casa muito cedo para ir trabalhar, Lucimar não comentou nada com ele. Ninguém sabe ainda quem o viu sair de carro do motel com uma mulher. Nem como essa informação chegou ao ouvido de Lucimar. Mas o certo é que esta situação toda fez um estrago na vida do casal. Ao chegar ao apartamento, Reginaldo se deparou com todas as suas roupas fora do armário. Só lhe restava pegar suas coisas, procurar outro local para morar e assinar o papel de divórcio.


As pessoas mais próximas de Lucimar davam todo apoio a ela neste momento difícil pelo qual passava. Acusavam os parentes e amigos de Reginaldo de cúmplices pela traição. Todos os familiares e amigos de Reginaldo confiavam muito em sua palavra, por isso saíram em defesa dele. Estavam todos unidos em prol de Reginaldo. Acusavam os de Lucimar de inescrupulosos e chantagistas.

Enquanto uns argumentavam ser fato que ele traiu, outros argumentavam ser fato que ele não traiu. Procurei dar ao texto uma aparência de neutralidade e de imparcialidade, deixando a você, caro leitor, a tarefa de tirar suas conclusões quanto ao que ocorreu. A única coisa que eu posso afirmar neste momento é que, diante do que foi apresentado, ao contrário do que diz o dito popular, contra fatos há sempre argumentos.

Fábio Rodrigo G. da Costa é professor mestre em Estudos Linguísticos.



MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon