top of page

Presos pelo sequestro de advogada desviaram R$ 3 milhões para o Paraguai

A delegada responsável pelo caso, Cristiana Onorato Miguel, afirma que o acesso dos criminosos ao dinheiro é o que mais dificulta a confissão do crime

Lourival Correa Netto Fatiga foi preso por suspeita de ser o mentor do sequestro da advogada. Foto: Reprodução
Lourival Correa Netto Fatiga foi preso por suspeita de ser o mentor do sequestro da advogada. Foto: Reprodução

O suspeitos presos pelo envolvimento no sequestro da advogada Anic de Almeida Peixoto Herdy (55) enviaram cerca de R$ 3 milhões ao Paraguai para tentar esconder a extorsão contra a família da vítima. Eles cobraram R$ 4,6 milhões pelo resgate e não liberaram a mulher.


A delegada responsável pelo caso, Cristiana Onorato Miguel, afirma que o acesso dos criminosos ao dinheiro é o que mais dificulta a confissão do crime. Além do valor enviado ao país, outros R$ 950 mil foram gastos na compra de eletrônicos para uma loja da família dos sequestradores e outros R$ 500 mil usados na aquisição de um carro de luxo e uma moto.


O gasto na compra de aparelhos que seriam revendidos é a principal prova contra Lourival Correa Netto Fatiga, amigo e segurança da família da vítima, seus dois filhos e a mulher com quem se relaciona. A transferência foi feita dois dias depois do pagamento do resgate.


Lourival intermediou a negociação com os supostos sequestradores e foi responsável por entregar o dinheiro. Sua localização na data do sequestro também despertou suspeita: investigadores identificaram, por meio do rastreio de seu celular e imagens de câmeras de segurança, que ele estava perto do shopping onde Anic foi vista pela última vez.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.


Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA