top of page

PT, PSB, PCdoB e PV definem comando da federação

Encontro entre presidentes dos partidos em Brasília também serviu para discutir candidaturas nos estados. Freixo será o candidato ao governo do Rio no Rio

(crédito: Dinho Souto/PSB Nacional)
(crédito: Dinho Souto/PSB Nacional)

Empenhados na construção de uma federação partidária para disputar as eleições de outubro, PT, PSB, PCdoB e PV definiram nesta quarta-feira (26) como será dividido o comando da nova organização. Por ser a maior força na Câmara dos Deputados, o PT terá a maioria da Assembleia Geral da federação.


Luiz Carlos Azedo, colunista do Correio Braziliense, diz "os entendimentos, porém, continuam tensos em razão das disputas regionais" e diz que o ex-presidente Lula quer ir além das alianças somente entre partidos de esquerda.


Os dirigentes dos 4 partidos se reuniram em Brasília para definir a composição da Assembleia Geral, que irá comandar a nova organização, ainda sem nome definido. Os presidentes das legendas realizaram uma coletiva de imprensa após o encontro.



Foi definido que o PT terá 27 cadeiras no organismo, que será formado por 50 membros. Com isso, o partido de Lula terá maioria na federação. O PSB contará com 15 assembleístas, enquanto PCdoB e PV terão 4 cada.


Projeta-se um rodízio no comando da assembleia, que teria como direção um presidente e três vices. Uma federação tem de, obrigatoriamente, existir por quatro anos, o que possibilitaria que cada sigla tivesse seu turno anual na presidência.


Estados

A tendência é de que, nas próximas semanas, dirigentes locais dos quatro partidos se reúnam para tentar aparar as arestas e definir as candidaturas a governos estaduais. São Paulo é o estado onde ocorre o maior entrave para se chegar a um consenso.


No Rio de Janeiro, o caminho está pavimentado para o PT oficializar, nas próximas semanas, o apoio a Marcelo Freixo, do PSB.


Com informações de Brasil 247 e Carta Capital.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.