top of page

Queda de energia provocada por pipas é uma constante em São Gonçalo

Município ficou no topo da lista com mais ocorrências na área de concessão da distribuidora


Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A cidade de São Gonçalo está no topo da lista de municípios que ficaram sem energia por causa de pipas que atingiram a rede elétrica. Segundo levantamento da distribuidora de energia, nos primeiros seis meses de 2023, mais de 150 mil clientes ficaram sem energia devido a perigosa diversão. "Junto o município gonçalense, as regiões que lideram o ranking com o maior número de clientes impactados, são: Região dos Lagos, Campos, seguidos por Magé, Região Serrana, Macaé, Região Sul e Niterói", informou a empresa em nota.


Em São Gonçalo, foram identificados 18.087 clientes prejudicados entre janeiro e junho de 2023, só ficando atras da Região dos Lagos, com 55.327 clientes impactados e no entorno de Campos, com 21.890. Em Magé, nesse mesmo período, 17.378 clientes sofreram impacto. Na Região Serrana, foram computados 16.936 e em Macaé, 15.194. Por fim, a Região Sul registrou 7.277 clientes atingidos e Niterói, 6.442.



A interrupção do fornecimento de energia causada por pipas pode ocorrer por diversas razões. Além do risco de rompimento dos cabos, as linhas que ficam enroscadas na rede elétrica provocam desgaste na fiação, podendo ocasionar curtos-circuitos e risco de choque. Nesses casos, equipes da distribuidora são mobilizadas imediatamente para realizar os reparos necessários e substituir a fiação, a fim de restabelecer o serviço o mais breve possível.


“As interrupções de energia, mesmo que de curta duração, geram grandes transtornos aos clientes, tanto na atividade comercial quanto no dia a dia das pessoas. Neste sentido, é importante reforçar os riscos de se empinar pipa próximo da rede elétrica e a necessidade de os pais orientarem as crianças e os adolescentes sobre os cuidados necessários, principalmente agora nesse período de férias escolares”, afirmou o responsável por Operação e Manutenção da Enel Distribuição Rio, Thiago Martins de Morais.



Dicas de segurança - Para garantir que a brincadeira ocorra de forma saudável e com segurança, seguem as dicas sobre a prática de empinar pipa:


• Caso a pipa se enrosque na rede, postes ou antenas, os praticantes não devem arremessar objetos nos fios nem tentar resgatá-los. Somente técnicos da distribuidora treinados para este trabalho, que exige o uso de equipamentos de segurança, estão aptos a manusear a rede;


• Soltar pipas perto da rede elétrica é extremamente perigoso, sob risco da linha ou da pipa enroscar nos fios, ocasionando descarga elétrica. O mais indicado é empinar pipas em espaços abertos e afastados de fiações, como parques e campos de futebol;


• Materiais metálicos, como o alumínio, não devem ser usados na fabricação da pipa, pois conduzem eletricidade, aumentando a chance de choque elétrico, com risco de morte;


• Evite a utilização de "rabiolas", pois elas agarram nos fios elétricos, desligando o sistema e provocando choques, muitas vezes fatais;


• Não é indicado soltar pipas na chuva. Ela funciona como para-raios, conduzindo energia e podendo provocar acidentes fatais;


• O uso de cerol (pó de vidro com cola) oferece mais um risco: ele corta os fios de alumínio ou de cobre, o que pode levar a choques por rompimentos de cabos;


• O uso da chamada linha chilena, que possui poder de corte quatro vezes maior que o cerol tradicionalmente usado nas pipas, tem agravado a situação. O risco de acidentes fatais é alto para pedestres e motociclistas e os danos à rede elétrica também são maiores;


• É aconselhável ter sempre um adulto responsável acompanhando as crianças no momento da brincadeira.;


• Em casos de cabos partidos, os clientes devem permanecer afastados e avisar imediatamente a distribuidora pela Central de Atendimento (0800 28 00 120), ou pelos perfis nas redes sociais Facebook (www.facebook.com/EnelClientesBR) e Twitter (@EnelClientesBR).


*Com informações O Dia


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.