top of page

Rujany Martins abre série 'Colóquios Gonçalenses'

Evento, que terá sempre uma personalidade das artes e da cultura, ocorre no espaço Arte Galeria Box 212, no Centro, no próximo sábado, 1/4

Rujany Martins/Arte Apologia Brasil
Rujany Martins/Arte Apologia Brasil

O jornalista gonçalense Rujany Martins, 87, que recentemente lançou o livro de memórias "Vi, ouvi, vivi", em evento concorrido no Teatro Municipal, participa no sábado (1.abr.23) de uma roda de conversa dentro da série "Colóquios Culturais - Coloquios Gonçalenses", uma parceria entre a editora Apologia Brasil e a Arte Galeria Box 212, no Centro de São Gonçalo.


O decano do jornalismo impresso e radiofônico vai contar um pouco dos seus quase 70 anos de profissão do jeito que mais gosta de fazer: em forma de causos, recheado de muito bastidor do que viu e ouviu nas maiores rádios do país, no jornal O Fluiminense e no período que comandou O Nosso Jornal, entre 1992 e 2007.


"Estamos preparando uma coisa simples, intimista e gostosinha de se viver pra quem for ao Colóquio. Que começa bem! Com um cara que tem histórias e sabe contá-las como ninguém. Histórias essas que tem tudo a ver com a gente. Rujany além de ser um cracaço da comunicação, de ter escrito um livro, tem muito a nos ensinar", disse Helcio Albano, diretor da Apologia Brasil.



O início da série "Colóquios" também marca a inauguração da "Estante Comunitária Carolina Maria de Jesus", uma bibioteca permanente de empréstimos gratuitos e de doação de livros.


"São Gonçalo carece de espaços literários e de bibliotecas públicas. A iniciativa de criar a "Estante" visa criar essa oferta de títulos para leitores e formação de leitores de modo totalmente gratuito", observa Adelino Góes, curador do Arte Galeria e da biblioteca, que nasce com o aval da filha de Carolina, Vera de Jesus.


A série Colóquios Culturais tem como objetivo convidar personalidades de diversas áreas do conhecimento, das artes e da cultura para um bate-papo franco, livre e descontraído com o público gonçalense.


O evento de inauguração contará com a exposição em fotos da trajetória de Rujany, montada em 2015 no ICBEU, cinco quadros do artista plástico Irineu Mayerhoffer, além da presença confirmada de vários autores e jornalistas de dentro e fora da cidade. E, na ocasião, será comemorado o aniversário do anfitrião Adelino Góes. Não é mentira!


No fim, tudo acaba em festa.


O livro de memórias "Vi, ouvi, vivi" do jornalista Rujany Martins ficará disponível para venda.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA

KOTIDIANO