top of page

São Gonçalo eleva arrecadação de impostos em R$ 32 milhões

Destaque foi o arrecadado de Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), que cresceu 102% em relação a 2020

A Prefeitura de São Gonçalo divulgou nesta segunda (11) que houve aumento na arrecadação de impostos de quase R$ 32 milhões nos primeiros nove meses de governo, em comparação ao ano passado.




O destaque, segundo a Secretaria de Fazenda, ficou por conta do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), que bateu recorde de arrecadação com mais de 102% em relação a 2020, período mais crítico da pandemia e de grande impacto na economia gonçalense.



O tributo teve o melhor desempenho da série histórica dos últimos 11 anos. Os dados são do Portal da Transparência de São Gonçalo. Com a mudança na gestão do município, São Gonçalo registrou o montante de R$ 133.440.257,90 em arrecadação de impostos municipais (IPTU, ITBI e ISS), contra R$ 101.856.913,60 em todo o ano de 2020. Esse aumento de 31% nas receitas próprias de impostos chega para reforçar ainda mais os recursos recebidos pelo município oriundos do leilão de concessão dos serviços da Cedae, de R$ 1,02 bilhão.

Segundo o secretário de Fazenda, Thiago Saraiva Felicio, "os resultados refletem o compromisso da gestão do Prefeito Capitão Nelson em sanear as contas públicas, tomando, desde o início do governo, diversas medidas voltadas para uma melhor gestão fiscal". Ainda segundo o secretário de Fazenda, o incremento considerável de receita só foi possível graças ao compromisso e lisura de auditores fiscais do município.


ITBI

Destaque entre os tributos municipais na arrecadação, o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) já apresenta em 2021 o melhor desempenho da série histórica dos últimos 11 anos, com R$ 15.856.708,20. Se pegar como parâmetro o ano passado, o aumento foi de 102%.

"Com as contas públicas saudáveis, será possível dar continuidade ao trabalho incansável do governo municipal em oferecer serviços públicos de qualidade para a população gonçalense", concluiu o Secretário de Fazenda, Thiago Saraiva Felicio.



POLÍTICA