top of page

São Gonçalo mantém vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades

Programação vacinal na cidade não muda mesmo após ministro da Saúde defender suspensão da vacinação para esse grupo devido a "eventos adversos"


Por Cláudio Figueiras

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

A Secretaria de Saúde de São Gonçalo irá manter o programa de vacinação realizado no município de adolescentes, com ou sem comorbidades, de 12 a 17 anos. A informação foi dada pela Pasta ao Daki na tarde desta quinta (16) após entrevista coletiva do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que defendeu a suspensão da vacinação em adolescentes sem comorbidades.



O ministro, que considerou "intempestiva" a vacinação nesse grupo etário, justificou a decisão afirmando que foram registrados 1.545 eventos adversos da vacinação entre adolescentes, sendo que 93% deles seriam de erros de vacinação - no caso, jovens que receberam outras vacinas que não a da Pfizer, única autorizada para aplicação em adolescentes.



Há registro ainda de uma morte, em São Bernardo do Campo, no Estado de São Paulo, temporalmente associada à vacina, o que significa que ocorreu na época em que o jovem foi vacinado, e que está em investigação. A vacina aplicada foi a Pfizer, autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para essa faixa etária desde julho de 2021.


A decisão de revisar a recomendação da Anvisa está em nota técnica publicada ontem (15) pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19. O ministério voltou atrás e passou a recomendar a vacinação apenas para os adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.


Com informações de Reuters e EBC.











POLÍTICA