top of page

Sergio Reis e Otoni de Paula são alvos da Polícia Federal

PGR Augusto Aras pediu e ministro do STF Alexandre de Moraes autorizou

Otoni e Sergio Reis/Reprodução
Otoni e Sergio Reis/Reprodução

A Polícia Federal (PF) fez na manhã desta sexta(20) operação de busca e apreensão em endereços ligados ao cantor e ex-deputado federal Sérgio Reis. O pastor e deputado federal bolsonarista Otoni de Paula (PSC-RJ) também é alvo dos agentes.


Os pedidos de busca e apreensão à PF foram feitos pelo procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, e autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator do inquérito das fake news na corte, Alexandre de Moraes.



A PF cumpre 29 mandados de busca e apreensão, ao menos em quatro endereços ligados ao cantor, na casa e no gabinete do deputado carioca. O foco da operação seria a convocação de atos antidemocráticos para o dia 7 de Setembro.


Em nota, a PF informou que “o objetivo das medidas é apurar o eventual cometimento do crime de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos Poderes”.



Ameaças Em áudio (ouça aqui) divulgado nas redes sociais, Sérgio Reis contou vantagem dizendo que almoçou com Jair Bolsonaro e que teve reunião com o presidente e “todos os ministérios, ministro da Defesa, generais do Exército, Marinha e Aeronáutica”.


Ele ainda diz que irá pessoalmente ao Senado, no dia 8 de setembro, acompanhado de empresários da soja e lideranças dos caminhoneiros para entregar a Rodrigo Pacheco “uma intimação” em que estaria descrito que “vocês tem 72 horas pra aprovar o voto impresso e para tirar todos os ministros do STF”.



“Não é um pedido, é uma ordem. Assim que vou falar com o presidente do Senado”, diz.

“Enquanto o Senado não tomar essa posição que nós mandamos fazer, vamos ficar em Brasília e não saímos de lá até isso acontecer. E, se em 30 dias não tirarem aqueles caras, nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra”, afirma.


A divulgação do áudio provocou reação até mesmo entre lideranças de caminhoneiros, que se apressaram em dizer que o cantor não os representa.



Em entrevista a blogueiro bolsonarista, Sergio Reis chorou, se mostrou arrependido e disse que achou Bolsonaro “muito abatido, muito doente”. Deprimido, ele cancelou a ida aos atos do dia 7 de Setembro.


A declaração fez ainda com que o cantor sertanejo virasse alvo de ação movida por 29 subprocuradores por subversão e incitação ao crime. A operação é baseada neste inquérito, que foi aberto na última quarta-feira (18).



Otoni Na madrugada desta sexta-feira (20), Otoni de Paula, que é alvo da investigação, foi às redes sociais reclamar da ação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pediu a desmonetização de sites bolsonaristas, que chegam a faturar R$ 15 milhões com a propagação de fake news e campanha pró-Bolsonaro.


“Não podemos recuar. Temos que nos unir. Tudo o que eles querem a a direita dividida”, tuitou.


Com informações de Fórum.



POLÍTICA