top of page

Solução para preço dos combustíveis está na caneta do presidente - por Dimas Gadelha


Bolsonaro e governistas fazem diversionismo com Petrobras/Foto: Reprodução
Bolsonaro e governistas fazem diversionismo com Petrobras/Foto: Reprodução

Novamente o presidente que parasita a República e a Nação aposta no caos para tumultuar o ambiente político. Mesmo que isso possa aprofundar ainda mais a crise econômica que castiga agudamente a população brasileira, com inflação alta, desemprego e fome, que já atinge 34 milhões de pessoas. Um absurdo inaceitável que não o sensibiliza.


Agora Bolsonaro, em sinais evidentes de desespero, má-fé e estupidez, avança degraus acima em seu desatino característico contra a Petrobras. Como se a União, sócia majoritária da empresa, não tivesse nada a ver com a política de preços adotada pela companhia. A famigerada PPI (Paridade de Preços de Importação), implantado por Pedro Parente, nomeado por Temer em 2016 para fazer o trabalho sujo na Petrobras, alvo da cobiça internacional pelo pré sal. O real motivo do golpe contra a presidenta Dilma Rousseff.


Num teatrinho de horrores e diversionismos, que tem no presidente da Câmara, Arthur Lira (PP/AL), o chefe de uma trupe que varia entre o trágico e o nonsense, parlamentares governistas raivosos tocam o terror, ameaçam com CPI, com taxação de lucros e de exportação de óleo cru. E, assim como o diabo foge da cruz, fogem do principal: acabar com a PPI.



Como bem lembrado de modo solar pela presidenta do PT, Gleise Hoffmann, neste domingo (19) na Folha de S. Paulo: "É papel do governo, não do Lira (interferir na politica de preços). Basta a caneta do Bolsonaro para resolver".


A PPI estabelece que todos os produtos e serviços, mesmo tendo origem no Brasil, como extração, transporte e refino do petróleo, por exemplo, sejam negociados em dólar de acordo com os preços fixados no mercado internacional. O que não faz nenhum sentido quando a produção é realizada em moeda brasileira.


Governo Federal, entregue ao rentismo, e políticos irresponsáveis lesas-pátrias atuam para jogar a população contra a Petrobras, criando uma nova e espessa cortina de fumaça, como que saísse da queima simbólica de todo o pré sal, gasodutos e refinarias vendidas a preço de banana.


Devemos com todas as forças desvelar os reais interesses por trás da tentativa de enfraquecer a empresa diante da percepção popular que sempre a teve como orgulho nacional.


O presidente da república atuar para que a Petrobras perca valor de mercado nacional e internacional é o fim da picada. E deveria ser tratado como crime de traição ao país!

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

Dimas Gadelha é médico sanitarista, ex-secretário de Saúde de São Gonçalo e ex-secretário de Gestão e Metas de Maricá.




POLÍTICA