top of page

Vídeo: PM libera dono de Porshe após acidente que matou um motorista de app

Pelas câmeras corporais nos policiais vê que, com a ajuda da mãe, Fernando conseguiu  deixar o local sem fazer o teste do bafômetro

Fernando Sastre logo após a batida com o Porshe. Foto: reprodução
Fernando Sastre logo após a batida com o Porshe. Foto: reprodução

Nesta quinta-feira (25) foram divulgadas as imagens das câmeras corporais do agentes da Polícia Militar que atenderam a ocorrência da batida do Porsche em São Paulo. As imagens obtidas pela GloboNews mostram Fernando Sastre de Andrade Filho, que dirigia o veículo de luxo, sem conseguir conversar bem com a PM que conduzia o interrogatório.


“Eu estava saindo com o Marcos, a gente estava indo para casa, e aconteceu o acidente horrível”, diz o empresário de 24 anos. Na sequência, a agente pergunta se ele lembra de mais alguma informação, mas Fernando repetiu as informações acrescentando que eles iriam jogar sinuca na casa dele.


Por fim, a PM pede para que o dono do Porsche leia em um tablet o depoimento prestado e que assine com o dedo no local para registrar sua versão.


Em seguida, com a ajuda da mãe, Fernando conseguiu  deixar o local sem fazer o teste do bafômetro, se apresentando em uma delegacia dias após a tragédia que matou o motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana.



Nesta quinta-feira, a Polícia Civil também concluiu o inquérito sobre o caso. Segundo o levantamento, Fernando conduzia o veículo a 156 km/h, sendo que a Avenida Salim Farah Maluf, onde a batida aconteceu, tem o limite de 50 km/h.


A polícia também pediu, pela terceira vez, a prisão de Fernando, o que foi negado nas tentativas anteriores pela Justiça paulista. O herdeiro foi indiciado por homicídio doloso, lesão corporal e fuga de local de acidente.


O inquérito foi encaminhado à Justiça, que decidirá sobre o pedido de prisão do herdeiro. O Ministério Público irá analisar o caso e decidir se apresentará denúncia contra Fernando.


De DCM.


Nos siga no BlueSky AQUI.

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA