top of page

Vítimas de acidentes de moto sobrecarregam hospitais em Niterói

Atualmente, Niterói tem uma frota de 50 mil motos transitando pelas ruas

Bombeiros atenderam 525 chamados de acidentes envolvendo motos, no primeiro trimestre de 2024. Foto: Nittrans
Bombeiros atenderam 525 chamados de acidentes envolvendo motos, no primeiro trimestre de 2024. Foto: Nittrans

Em Niterói, acidentes de trânsito envolvendo motos, no primeiro trimestre do ano, aumentaram em cerca de 30%, em comparação ao mesmo período de 2023, entre as chamadas recebidas pelo Corpo de Bombeiro, para socorro em vias.


Desde 2022, o número de acidentes com esse tipo de veículo, na cidade, está em crescimento. De acordo com a corporação, foram 1.614 atendimentos em 2022, contra 1.967 em 2023, de um total de 2.800 chamados para acidentes de trânsito, ou seja, 70,25% dos casos. Somente nos três primeiros meses de 2024, os Bombeiros atenderam 525 acidentes envolvendo motos de um total de 729.


– Acidentes de moto são um desafio para nós e a tendência é que aumentem, já que o delivery foi definitivamente incorporado à nossa rotina – afirmou o diretor do Hospital Estadual Azevedo Lima (HEAL), Marcus Vinícius Dias.


A unidade, que fica no Fonseca, é uma urgência 24h, especializada em traumas de média e alta complexidade. É para lá que são levadas as vítimas dos acidentes de trânsito de Niterói.

O hospital registrou, ano passado, um aumento de 12,8% no atendimento de acidentes envolvendo motocicletas: foram  897 casos em 2023 contra 795, em 2022.


Atualmente, Niterói tem uma frota de 50 mil motos transitando pelas ruas. O total de carros está em torno dos 300 mil. O aumento de motos nas ruas da cidade está diretamente relacionado com o crescimento dos serviços de entrega, nos últimos anos.


A Ecoponte, concessionária que administra a Ponte Rio-Niterói, também já detectou o aumento das motos nas suas vias. Em 2023, mais de dois milhões delas cruzaram a Ponte, somente no primeiro semestre, o que representou um aumento de 23% em relação ao mesmo período do ano passado.


De acordo com a concessionária, a cada dia, 150 mil veículos passam pela Ponte Rio-Niterói nos dois sentidos e desse número, 12 mil são motocicletas, o que corresponde a 8% do tráfego. Uma média de 341 mil por mês.


Maio amarelo

Quanto mais se transita, maior as chances de acidentes – situação que já acende uma luz amarela nas autoridades. Não por acaso, essa é a cor que simboliza  uma campanha tradicional, feita nos meses de maio, justamente sobre segurança viária e a importância do respeito às leis de trânsito.


Trata-se do Maio Amarelo que terá, em Niterói, uma programação ao longo do mês, a partir desta terça-feira (7). Ao todo, 25 ações serão desenvolvidas pela Coordenadoria Geral de Educação Para o Trânsito da NitTrans.


Será justamente com uma palestra voltada para os usuários de motocicleta que trabalham com delivery a das atividades, às 9h, na sede da Ponte Rio-Niterói.


Durante a campanha, motoboys e ciclistas delivery poderão fazer um curso de pilotagem segura com Simulador de Ponto Cego de ônibus e caminhões – ponto de vista do retrovisor em que não é possível ao motorista ver o veículo que transita na sua diagonal. As aulas serão no Auditório do Caminho Niemeyer, no Centro.


Ranking

Confira as dez vias da cidade com mais acidentes em 2023, segundo o Corpo de Bombeiros

  1. Estrada Francisco da Cruz Nunes

  2. Alameda São Boaventura

  3. Estrada Caetano Monteiro

  4. Avenida Marquês do Paraná

  5. Rua Noronha Torrezão

  6. Avenida Visconde do Rio

  7. Avenida Feliciano Sodré

  8. Avenida Central Ewerton da Costa Xavier

  9. Avenida Roberto Silveira

  10. Rua Dr. Mário Vianna


Com informações de A Seguir Niterói.


Nos siga no BlueSky AQUI.

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.


Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA