top of page

Vini esculacha: 'Não sou vítima de racismo, sou algoz de racistas'

Desabafo veio após torcedores do Valência acusados de atacarem o jogador com insultos racistas serem condenados pela Justiça da Espanha

Vini Jr.. Créditos: Divulgação/Facebook Real Madrid
Vini Jr.. Créditos: Divulgação/Facebook Real Madrid

O jogador brasileiro Vini Jr., craque do Real Madrid, comemorou em suas redes sociais a condenação dos criminosos que o agrediram com insultos racistas. “Não sou vítima de racismo. Eu sou algoz de racistas”, afirmou o jogador.


“Muitos pediram para que eu ignorasse, outros tantos disseram que minha luta era em vão e que eu deveria apenas ‘jogar futebol’", iniciou o jogador. “Mas, como sempre disse, não sou vítima de racismo. Eu sou algoz de racistas. Essa primeira condenação penal da história da Espanha não é por mim. É por todos os pretos”, disse ainda.


“Que os outros racistas tenham medo, vergonha e se escondam nas sombras. Caso contrário, estarei aqui para cobrar. Obrigado a La Liga e ao Real Madrid por ajudarem nessa condenação histórica. Vem mais por aí…”, encerrou.


A condenação

Os três torcedores do Valência acusados de atacarem o jogador Vini Jr. com insultos racistas foram condenados pela Justiça da Espanha a oito meses de prisão. Além disso, os criminosos foram proibidos de frequentar estádios por dois anos.


O crime atribuído aos três foi de delito contra a integridade moral, com agravante de discriminação por motivos racistas.

O caso ocorreu em maio do ano passado, durante partida do campeonato espanhol. Relembre detalhes abaixo.


A La Liga, responsável pelo campeonato espanhol da primeira divisão, afirmou que se trata da primeira sentença condenatória deste tipo na Espanha como consequência da denúncia feita pela própria liga.


"Esta sentença é uma grande notícia para a luta contra o racismo na Espanha, já que repara o dano sofrido por Vinicius Jr. e lança uma mensagem clara às pessoas que vão a um estádio de futebol para insultar: de que a La Liga os detectará, denunciará e haverá consequências penais para eles", disse Javier Tebas, presidente da La Liga. "Entendo que possa haver certa frustração pelo tempo que essas sentenças levam para serem proferidas, mas isso demonstra que a Espanha é um país garantista a nível judicial", encerrou.


O Real Madrid informou em nota que os três criminosos escreveram carta pedindo desculpas ao atacante brasileiro. "Os três acusados assumiram a sua responsabilidade criminal e tornaram pública uma carta de desculpas dirigida ao nosso jogador Vinicius Junior, ao Real Madrid e às pessoas que se sentiram ofendidas e ofendidas."


Relembre o caso

O ataque ao craque brasileiro ocorreu em maio de 2023, durante o jogo contra o Valência, realizada no Estádio Mestalla, válido pela 35ª rodada da La Liga. Durante o segundo tempo, o atleta brasileiro passou a ser xingado em coro de “macaco” pela torcida valenciana. Aos 24 minutos, após novos insultos, o jogador partiu pra cima dos torcedores, à beira do campo, para tomar satisfação e acabou contido por companheiros de clube, seguranças e atletas adversários.


Um aviso nos alto-falantes do Mestalla informou aos torcedores que a partida estava suspensa pelo ocorrido racista e que só seria retomada após os xingamentos pararem. Após oito minutos de paralisação, a bola voltou a rolar em Valência.


Depois de pouco mais de 20 minutos do retorno ao gramado, Vini Junior se envolveu numa confusão com o goleiro Mamadarshvili e levou uma ‘gravata’ do atacante Hugo Duro, ambos do Valência. Ao reagir ao ‘golpe’, o brasileiro acertou um tapa no rosto de Duro e acabou expulso após uma checagem no VAR.


Nos siga no BlueSky AQUI.

Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.


Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.