top of page

Alunos da Faetec receberam merenda estragada, diz Comissão de Educação da Alerj

Comissão de Educação do Legislativo estadual recebeu fotos de bolo com mofo e leite fermentado com larvas


Fotos foram enviadas por alunos das unidades de Niterói e Bacaxá, em Saquarema, para a Comissão de Educação da Alerj - Reprodução/TV Globo
Fotos foram enviadas por alunos das unidades de Niterói e Bacaxá, em Saquarema, para a Comissão de Educação da Alerj - Reprodução/TV Globo

Brasil de Fato - Alunos da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) denunciaram à Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que receberam alimentos estragados para a merenda. As fotos enviadas pelos estudantes foram feitas nas unidades de Niterói e Bacaxá, no município de Saquarema.


As imagens mostram bolos mofados e leite fermentado com larvas. A Comissão de Educação da Alerj enviou ofício à Faetec solicitando que sejam tomadas as medidas necessárias para o fornecimento dos alimentos em condições de consumo, e também no que se refere à fiscalização da empresa responsável pelo fornecimento.


O presidente da Comissão de Educação na Alerj, deputado Flávio Serafini (Psol), chamou a atenção para o risco de intoxicação alimentar de dezenas de alunos e rebateu as respostas dadas pela direção da Faetec.




"É inaceitável que nas escolas públicas do estado do Rio de Janeiro estejam servindo alimentação estragada. E o que nos chama atenção é de que foi um processo em larga escala que poderia ter significado intoxicação alimentar de dezenas de alunos. A direção da Faetec informou que os produtos estavam dentro da validade, então por que estavam estragados?", questionou o parlamentar.


Serafini disse que a fundação ligada ao governo de Cláudio Castro (PL) tem por obrigação fiscalizar o fornecimento dos alimentos. "Ou está havendo más condições no armazenamento ou está se comprando produtos de baixa qualidade", comentou o presidente da Comissão de Educação.


O parlamentar disse, ainda, que está pedindo esclarecimentos adicionais à direção da Faetec: "Não vamos permitir que comidas estragadas sejam servidas para nossos estudantes. Eles merecem alimentação adequada para conseguirem dar continuidade ao seu processo de estudo".


A Comissão de Educação também informou o caso ao Conselho Regional de Nutrição-CRN. Ela solicitou também um parecer sobre as condições dos alimentos servidos nas unidades da Faetec e um levantamento do déficit de nutricionistas na rede da Fundação.


A Faetec informou que notificou a empresa e que novos itens serão entregues na terça (11).


"Vale informar que os produtos estavam dentro da validade, em lote registrado e sem qualquer avaria ou violação na embalagem, não sendo possível identificar o problema com antecedência. Ressaltamos ainda que o leite fermentado ocorreu em apenas uma unidade", acrescenta a nota.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.





POLÍTICA