top of page

Caso Choquei: fake news e as mentiras mais deslavadas publicadas pela página de fofoca



A fake news sobre Jéssica Canedo e Whindersson Nunes, que causou a morte da jovem, não é o primeiro absurdo publicado pela Choquei e outras páginas de fofoca. Esses perfis são conhecidos por publicarem informações distorcidas e até repercutir teorias da conspiração sem nenhuma checagem.


Um dos casos mais emblemáticos da Choquei é a divulgação de uma suposta pesquisa que teria descoberto uma cidade soterrada na Amazônia: Ratanabá, que teria uma área maior do que a grande São Paulo e teria sido usada por civilizações antigas.


A mentira viralizou no TikTok e gerou um pico de buscas no Google, o que motivou a Choquei a surfar na repercussão que o tema estava gerando. Um dia depois, a página desmentiu o próprio post e admitiu que “caiu numa fake news”.

A mesma página também fez um post mentiroso após o acidente de avião de Marília Mendonça dizendo que ela estaria viva e chamando as notícias sobre seu óbito de “fake news”. O post foi feito no dia 05 de novembro de 2021, data da morte da artista.

A Choquei não é a única página desse ecossistema que compartilha notícias falsas que seriam facilmente verificadas. Os perfis “Babadeira” e “Alfinetei”, ambas do Instagram, divulgaram um suposto caso de homem que salvou a namorada de um incêndio, teve o rosto deformado pelas chamas e foi deixado dois meses depois do episódio.


As páginas usaram uma foto do ator sul-coreano Song Kang para ganhar cliques com a história inventada.

A Choquei também costuma usar nomes de personalidades que estão tendo muita repercussão nas redes para ganhar engajamento. Foi o caso do jogador de futebol Cristiano Ronaldo, que em 2022 perdeu um filho após complicações no parto da esposa, Georgina Rodríguez.


Na ocasião, a página zombou do caso, dizendo que o ano dele “não foi nada fácil” e colocando o episódio ao lado de seu desempenho em jogos de futebol.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.