top of page

Disque Denúncia pede informações sobre o paradeiro de presos que não voltaram ao presídio após o 'saidão' de Natal

A Seap registrou uma evasão menor do que no ano passado, que foi de 42%; Um deles foi condenado por matar um militar do Exército no 'tribunal do tráfico'


Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Disque Denúncia divulgou um cartaz pedindo informações sobre foragidos que estavam presos que não retornaram da saída de Natal. Dos 1.785 presos beneficiados com a Visita Periódica ao Lar (VPL) pela Justiça fluminense, 253 não retornaram aos presídios. Entre eles, três já foram chefes da maior facção de tráfico de drogas do Rio. São eles: Saulo Cristiano Oliveira Dias, o SL; e Paulo Sérgio Gomes da Silva, o Bin Laden. Condenado por tráfico e homicídio, Davi da Conceição Carvalho, vulgo “DVD”, saiu no dia das Crianças e não retornou.


Os contemplados por decisão judicial deveriam se apresentar até às 22h do dia 30 de dezembro, mas não compareceram. Todos cumpriam pena no regime semiaberto. A evasão corresponde a 14%, menor do que no ano passado, que foi de 42%.


Segundo Seap, os 1.785 detentos deixaram a cadeia a partir das 6h do dia 24 de dezembro, véspera de Natal, para celebrarem a data com suas famílias. Os beneficiados receberam uma autorização temporária da Justiça para deixar as unidades, por conta do benefício de visita periódica ao lar, também conhecido como "saidão" de Natal. Eles deveriam retornar ao sistema penitenciário até o último dia 30. A maioria cumpriu a determinação.




'Tribunal do tráfico'


Saulo Cristiano estava preso desde 2012, quando foi encontrado por uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Ele cumpre pena de 18 anos e 9 meses de prisão por homicídio qualificado e associação para o tráfico de drogas majorada pelo emprego de armas de fogo. Ele foi condenado por matar o militar do Exército Thiago dos Santos Souza, que foi morto no "tribunal do tráfico" porque criminosos do Chapadão acreditaram que ele fazia parte de uma milícia.


Saulo teve o benefício concedido pela primeira vez neste ano. A decisão da juíza Larissa Maria Nunes permite que ele tenha autorização para visitar sua família em feriados e datas comemorativas, como dias das Mães, Pais e Natal.


A decisão foi publicada em 22 de novembro de 2023, um ano depois da magistrada negar o benefício a Saulo. Em 2022, o Ministério Público foi contrário a permissão da saída temporária. No despacho, a juíza destacou que ele era reincidente, havia cometido crimes graves e não vinha "se dedicando aos estudos ou ao trabalho na unidade prisional no momento".


No fim do despacho que negou o benefício, a magistrada ressalta que ele estava há pouco tempo no regime semiaberto e que "a própria progressão de regime, de per si, constitui um benefício ao apenado independentemente da concessão das saídas extramuros. Destarte, eventual concessão de saída extramuros, inicialmente, não se coaduna com o objetivo da pena, podendo servir, inclusive, de estímulo para eventual evasão".



Chefe do Tráfico


Condenado por tráfico de drogas a cinco anos de prisão, Paulo Sérgio Gomes da Silva, o Bin Laden também conseguiu o benefício da saída temporária pela primeira vez. A decisão foi da juíza Viviane Ramos de Faria que considerou "o caráter ressocializador do instituto (benefício)".


O traficante deu como endereço que passaria o Natal o de sua companheira, que mora na favela de Botafogo.


Davi da Conceição Carvalho, "Davi do Chapadão" ou "Pinóquio", foi preso em 2014 e chefiava o tráfico na favela Final Feliz, no Complexo do Chapadão. Ele foi condenado a 28 anos de prisão por tráfico de drogas e homicídio.


Quem tiver informações sobre a localização dos foragidos da Justiça, pode informar ao Disque Denúncia, pelos seguintes canais de atendimento:



  • Central de atendimento: (021) - 2253 1177 ou 0300-253-1177

  • WhatsApp Anonimizado: (021) – 2253-1177 (técnica de processamento de dados que remove ou modifica informações que possam identificar uma pessoa)

  • Aplicativo: Disque Denúncia RJ

  • O anonimato é garantido.


*Com informações Extra


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua