top of page

Oficial que supervisionava policiais envolvidos em estupro de jovem é afastado em Saquarema

O tenente afastado também já respondeu por violência doméstica quando sua ex-mulher procurou a polícia em 2014


Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Brasil de Fato - Comandante da 4ª Companhia Independente do 25º Batalhão (Cabo Frio), em Saquarema, na Região dos Lagos, o tenente Thiago Fernandes dos Anjos foi afastado de funções externas. Ele era encarregado de supervisionar quatro policiais militares, presos por suspeita de envolvimento em um episódio que acabou com o estupro de uma jovem de 18 anos, na madrugada do dia 27 de abril.


A informação é da Polícia Militar, divulgada pelo jornal Extra. Em uma nota enviada à imprensa, a corporação disse ter colhido indícios de crimes na esfera administrativa, diferentes de violência sexual, em relação ao oficial. Ele não responde por estupro, mas, sim, por falhas administrativas sobre sua conduta quando estava de serviço como supervisor dos policiais que atuavam, na data em que os fatos ocorreram, como reforço de policiamento pelo Programa Estadual de Integração na Segurança.


“Até o momento há indícios de outros crimes na esfera administrativa da Corporação diferentes do estupro. É importante informar que os delitos investigados não geraram motivação para o pedido de prisão preventiva do oficial. No entanto, ele está afastado das funções de policiamento ostensivo e cumprirá funções burocráticas em sua unidade de origem”, disse a PM em nota.


O tenente também já respondeu por violência doméstica, quando sua ex-mulher procurou a polícia, em 2014, e denunciou que havia sido agredida por ele.



Por conta disso, o militar chegou a ser condenado a quatro meses de detenção por lesão corporal e ameaça, em 2017. A defesa de Thiago recorreu da sentença, mas desembargadores da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negaram provimento à apelação, mantendo a condenação. A execução da pena foi suspensa pela Justiça, por dois anos, mediante algumas condições como a de que o oficial deixasse de frequentar bares e casas noturnas e que participasse de grupos reflexivos de homens em situações de violência doméstica. Em 2021, após o cumprimento do que foi estabelecido, a pena e o processo foram extintos.


Quatro policiais foram presos, na última segunda (1), após mandados de prisão serem expedidos pela Justiça Militar, por conta do estupro de uma jovem, de 18 anos. Os agentes da corregedoria da PM prenderam Gerson Jucá Rolim de Paula, Alexsander Moreira Simas, Diogo Viana Lourenço e Sainclair Marinho Antunes Corecha. Eles estão na Unidade Prisional da Corporação, em Niterói.


O primeiro citado é suspeito de cometer o ato sexual, enquanto o segundo o acompanhava numa viatura. Já os outros dois estavam em outra patrulha que acompanhou o deslocamento dos agentes, levando duas jovens, até um local deserto.


As duas foram abordadas em um bar pelos policiais e deveriam ter sido levadas para uma delegacia. Uma das vítimas teria pedido para ir ao banheiro, quando o grupo estava em um terreno baldio, e foi seguida por Gerson, quando o estupro teria ocorrido.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA