top of page

Parente de menina encontrada morta em BH afirma que vítima sofreu abuso sexual

Câmeras de segurança registraram o momento em que a garota entrou em um imóvel acompanhada de um homem


Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal



Um familiar da adolescente Ana Luiza Gomes, de 12 anos, que foi encontrada morta em frente a uma casa no bairro Bela Vitória, na Região Nordeste de Belo Horizonte, na tarde desta terça (16), afirma que a vítima foi abusada sexualmente pelo suspeito.

Porém, a Polícia Civil (PCMG) não confirmou esta informação. O caso está sendo investigado. De acordo com o código penal, relação sexual com menores de 14 anos é estupro.


Câmeras de segurança registraram o momento em que a garota entrou no imóvel acompanhada de um homem, às 10h13.


Pouco mais de três horas depois, às 13h30, o suspeito, vestido com uma camisa diferente, deixou o local carregando a garota no colo, aparentemente desacordada, e a abandonou na calçada. O homem foi preso por policiais militares e autuado por homicídio.



De acordo com um parente de Ana Luiza, que preferiu não se identificar, os peritos do IML constaram que a vítima foi estuprada.


"O Samu tentou reanimar ela várias vezes, mas constaram o óbito. Posteriormente, no IML mostrou que ela passou por situação de abuso sexual. Foi um estupro seguido de morte", disse.


Segundo registro da Polícia Militar, o suspeito do crime, um homem de 25 anos, relatou que a vítima passou mal e sentiu falta de ar após usar drogas. Na casa do suspeito, os investigadores chegaram a encontrar frascos de papelotes de substâncias que podem ser cocaína, além de um preservativo usado.



O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas, quando chegou ao local, por volta de 13h50, a menina já estava morta. O médico que atendeu a ocorrência contou à PM que a vítima já apresentava rigidez, e que a morte pode ter ocorrido muito tempo antes da ligação para o Samu.


Segundo um parente da vítima, o homem que aparece nas imagens é desconhecido da família. De acordo com ele, a menina morava no bairro Goiânia, na mesma região, com o pai e a irmã, de 10 anos.


Em nota, a Polícia Civil afirmou que a perícia se deslocou ao endereço onde a adolescente foi encontrada "para a coleta de vestígios e informações que subsidiarão as investigações".


*Com informações G1


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA