top of page

Rolé: Novo golpe do cartão mira pagamentos por aproximação

E mais: Inadimplência no rotativo do cartão de crédito bate recorde histórico, Justiça aponta 'falhas grosseiras' da Seap sobre fuga de presos, MP-RJ vai analisar acordo entre Governo do Rio e CCR Barcas para prorrogar contrato


 Foto: Reprodução/Unsplash
Foto: Reprodução/Unsplash

Começamos o Rolé desta terça (31) com a notícia de que cibercriminosos desenvolveram novas variações de um programa que infecta maquininhas de cobrança e provoca o bloqueio de pagamentos via aproximação, no celular ou no cartão físico.


O golpe é um refinamento que permite à quadrilha driblar um recurso que é próprio dos pagamentos por aproximação e que dá mais segurança ao usuário: cada transação nesse modo gera um número de cartão, diferente do cartão físico, e que não é mais válido depois disso. Saiba mais em G1: Novo golpe no cartão: entenda como funciona fraude no pagamento por aproximação e saiba como se proteger


E segundo o Banco Central, a inadimplência no rotativo do cartão de crédito para pessoas físicas cresceu 9 pontos percentuais em 2022 e chegou a 44,7% no fim do ano — a maior taxa da série histórica do BC, iniciada em março de 2011.


Os dados foram divulgados pelo chefe do departamento de estatísticas do BC, Fernando Rocha. Vimos na Tribuna: Inadimplência no rotativo do cartão de crédito bate recorde histórico


O juiz Bruno Monteiro Rulière, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Rio, responsável por fiscalizar o sistema prisional do estado, pediu nesta segunda (30) para que a Secretaria de Administração Penitenciária do Rio (Seap) preste esclarecimentos, após identificar "falhas grosseiras" por parte do órgão com relação à fuga de três presos de alta periculosidade da Penitenciária Lemos Brito, no Complexo de Gericinó, em Bangu, no último fim de semana. Tá no Extra: Justiça aponta 'falhas grosseiras' da Seap e determina 48 horas para esclarecimentos sobre fuga de presos


Finalizamos o Rolé de hoje com a notícia de que o Governo do Estado do Rio e a concessionária CCR Barcas precisam que o Ministério Público aprove o acordo firmado entre as partes para dar continuidade à operação das barcas. O contrato se encerra no próximo dia 11.


No tarde desta segunda o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) participou de novo encontro sobre o reconhecimento de indenização e transição operacional. A reunião contou com a presença de promotores de Justiça com atribuição e de representantes da Secretaria de Estado de Transportes, da Procuradoria-Geral do Estado (PGE-RJ) e da Agetransp. O Dia noticiou: MP-RJ vai analisar acordo entre Governo do Rio e CCR Barcas para prorrogar contrato que se encerra dia 11

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.





POLÍTICA