top of page

Entregador acusa mulher de ameaçá-lo com faca em São Conrado

'Veio me ameaçar com um cutelo aqui na mão', diz o entregador


 Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal



m entregador fez um registro de ocorrência contra uma moradora de um prédio em São Conrado, na Zona Sul do Rio, afirmando ter sido ameaçado com um cutelo, uma faca com lâmina retangular. O caso está na 15ª DP (Gávea).


O entregador gravou um vídeo em que a mulher aparece segurando a faca. Em depoimento, ele disse que a cliente esperava que ele subisse ao apartamento, e o homem disse que não subiria e que aguardaria o código de compra para finalizar a entrega deixando o pacote na portaria. Ele diz que a plataforma não o obriga a subir para nenhum apartamento.


A mulher, então, desceu à portaria do prédio, na rua General Olímpio Mourão Filho, com uma arma branca em mãos.


"Veio me ameaçar com um cutelo aqui na mão", diz o entregador.


O entregador disse que só entregaria o pedido com o código da entrega. Após uma discussão entre os dois, a moradora deu o número, e o pedido foi entregue.



Segundo o Ifood, a cliente foi banida da plataforma, que disponibilizou atendimento psicológico para o trabalhador. Leia a nota na íntegra:


"O iFood não tolera qualquer tipo de ofensas, agressões, manifestações de preconceito ou assédio contra os entregadores parceiros", disse a plataforma. O Ifood acrescentou que identificou o caso do entregador e já entrou em contato para prestar "todo suporte a ele".


"Além disso, oferecemos nosso serviço da Central de Apoio Psicológico e Jurídico e estamos no aguardo da aprovação do profissional para seguir com este acolhimento. A cliente em questão foi banida da nossa plataforma", acrescentou.



A nossa a Central de Apoio Jurídico e Psicológico foi criada, em parceria com a organização global de advogadas negras, Black Sisters In Law, para acompanhar os casos de agressão e discriminação, com atendimento personalizado. Por isso, reforçamos a importância dos entregadores avisarem imediatamente no app na opção "Alerta de Casos Graves", para que as providências cabíveis sejam tomadas."


*Com informações G1


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI 

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA