top of page

Futuro de Pablo da Água no PT será decidido no dia 22

Destino do vereador deve ser a expulsão


Por Rodrigo Melo

Pablo da Água/Foto: Reprodução Facebook
Pablo da Água/Foto: Reprodução Facebook

O futuro do vereador Pablo da Água no Partido dos Trabalhadores será decidido no dia 22 de janeiro na sede do diretório municipal da legenda, no bairro do Zé Garoto.

A tendência da Comissão de Ética, formada por seis membros, é seguir os pareceres das executivas estadual e municipal pela expulsão do vereador por ter infringido diretrizes estatutárias e programáticas do partido.


O parlamentar tem votado sistematicamente com o governo Nelson Ruas (PL) contra os servidores municipais. A gota d’água, sem trocadilho, foi o vereador votar, em dezembro, pela desfiguração do Plano de Carreira dos profissionais da Educação que, na prática, extingue diversos direitos dos trabalhadores garantidos em lei desde 2004.



Horas depois da fatídica votação, ocorrida em 14 de dezembro, a Executiva Estadual do PT suspendeu cautelarmente por 90 dias o vereador Pablo da Água das atividades, direitos e prerrogativas partidárias, e enviou o caso para a Comissão de Ética.


Se não bastasse o apoio incondicional ao capitão reformado, Pablo da Água foi além, ao ajudar a aprovar na Câmara a entrega da maior honraria da cidade, o Título de Cidadão Gonçalense, a outro capitão, o do Vivendas da Barra.


Sob pressão do partido, voltou atrás e retirou seu voto.


Pablo da Água foi eleito com 1.696 votos. O primeiro suplente do PT na Câmara é Ricardo Castor.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA