top of page

Homem é homem e ponto final?! - por Rofa Araújo


Foto: Divulgação internet
Foto: Divulgação internet

O homem foi criado por Deus que o fez “muito bom” (Gênesis 1.31). Mas, quanta coisa boa e ruim ao mesmo tempo ele faz neste mundo? É impressionante e um desastre!!!


Depois de certo período, “Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea”. E, assim, seguiu sua vida conquistando as mulheres que para ele são fundamentais, pois não vive sem elas, mas nem sempre de forma romântica e sensível.


Uns dizem que, na verdade, o homem foi o “rascunho”, veio primeiro como protótipo, teste, e, depois a criação “definitiva e original”, que seria a mulher. As feministas gostam dessa história, ainda que em clima engraçado, pode ter fundo de verdade... quem sabe?! Só perguntando diretamente para Deus. Alguém se habilita?


O homem se diz um ser racional, mas, muitas vezes, age mais de forma egoísta e com atitudes machistas, irracionais, para com a mulher, do que qualquer animal. Não a ouve, não a trata como deveria e ainda reclama que está sempre correto.


Alguns reclamam que a mulher é a culpada de tudo, repetindo o que Adão fez com Deus, ao ser indagado sobre o porquê de ter comigo o fruto proibido: “A mulher que me deste deu-me da árvore e eu comi”. Será uma prática comum desde essa época? Tudo culpa da pobre coitada... será o benedito?!


Outros se dizem tão homens que tratar com um pouco de delicadeza parece que significa tornar-se menos homem, por isso ou em linguagem popular, bem machista e preconceituosa:

“Isso é coisa de bicha!”. E a mulher gosta de homens educados, bem-vestidos, românticos e delicados, sim. Apesar que tem periguetes por aí que pegam todos e não ligam para bons partidos, mas para qualquer um, mostrando seu poder de sedução e aquelas que têm “dedo podre” e escolhem sempre os piores.




Existe o homem vaidoso na medida certa e que se cuida mesmo, não é desleixado e aquele em excesso, o metrossexual, que é uma frescura, faz de tudo pelo seu corpo e ao extremo.


E, afinal de contas, o que deseja o homem? Apenas sexo ou algo físico? Não se apaixona ou quer compromisso sério, não? É tão egoísta assim? Quer “pegar” todas sem pegar uma só de jeito, até mesmo chegando à chamada hoje em dia de “loucura total” que é o casamento?


De nada adianta ser inflexível, imutável, só para dizer que é homem e ponto final. Homem é aquele que é homem para mudar, aperfeiçoar, a mulher melhor tratar e, acima de tudo, amar. E de verdade e de corpo, alma e coração. Um bater mais forte, pois o que há dentro do peito é um coração de carne e não de pedra como muitos acham.


Homem que é homem nunca será ponto final em si mesmo desde criancinha, mas reticências para continuar a preencher a sua vida com o que há de melhor na vida; exclamação para dar emoção à vida; vírgula para respirar e dar oportunidade de ouvir; e interrogação quando tem dúvida e pergunta para entender o que se passa.


Homem é homem, mas, sem mulher ao seu lado, não passa de um solitário, bobalhão, crianção, com corpo sarado e cérebro atrofiado. Homem e mulher juntos podem somar o que um tem e o outro não; diminuir os defeitos de ambos; dividir sua vida; e multiplicar momentos marcantes a dois pela vida afora, na maior felicidade do mundo!

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


Rofa Araujo é jornalista, escritor (cronista, contista e poeta), mestre em Estudos Literários (UERJ), professor, palestrante, filósofo e teólogo.



POLÍTICA