top of page

IBGE: desemprego atinge 12,9 milhões e renda média é a menor desde 2012

Dados foram divulgados nesta terça (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística


Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas
Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

Revista Fórum - De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (28) o desemprego ficou em 12,1% no trimestre encerrado em outubro, ou seja, 12,9 milhões de brasileiros estão sem trabalho.


Além do alto desemprego, o rendimento médio da população ocupada também encolheu pelo 5º trimestre seguido e caiu para R$ 2.449, o menor valor já registrado na série histórica da pesquisa, que começou em 2012.


Segundo o IBGE, o valor representa uma queda de 4,6% frente ao trimestre anterior e uma redução de 11,1% em relação ao mesmo trimestre de 2020.


Por sua vez, o número de desalentados (pessoas que desistiram de procurar emprego) ficou em 5,1 milhões.




Informalidade em alta - O Pnad também revelou que a taxa de informalidade se manteve em alta e atinge 40,7% da população ocupada, ou 38,2 milhões de trabalhadores. No trimestre anterior, a taxa registrada havia sido de 40,2% e, no mesmo trimestre de 2020, de 38,4%.


Já o número de trabalhadores com carteira de trabalho assinada totalizou 33,9 milhões, uma alta de 4,1% frente ao trimestre anterior e 8,1% frente a 2020.


Na outra ponta, o número de trabalhadores sem carteira assinada chegou a 12 milhões, uma alta de 9,5% (1 milhão de pessoas) ante o trimestre anterior e de 19,8% (2 milhões de pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2020.




Os números apresentados pelo IBGE revelam um cenário de alta informalidade e queda brutal da renda média da classe trabalhadora.


Além disso, estudo divulgado nesta terça pelo Instituto Brasileiro de Economia da FGV (FGV IBRE) aponta que o índice de confiança do comércio e de serviços voltaram a cair em dezembro.




POLÍTICA

KOTIDIANO