top of page

Lula exclui Correios do programa de privatização

Outras seis empresas, como a Ceitec, também saíram da relação

Correios estava em programa de desestatização — Foto: Agência Brasil
Correios estava em programa de desestatização — Foto: Agência Brasil

DCM - O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) retirou, na última quinta-feira (6), os Correios e outras estatais de programas voltados para a privatização. A medida foi anunciada por meio de edição extra do Diário Oficial da União.


No total, o governo petista excluiu sete empresas do Programa Nacional de Desestatização (PND) e três do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Confira as listas:

PND:

  1. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT);

  2. Empresa Brasil de Comunicação (EBC);

  3. Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev);

  4. Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. (Nuclep);

  5. Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro);

  6. Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias S.A. (ABGF);

  7. Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada S.A. (Ceitec).

PPI:

  1. Armazéns e imóveis de domínio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab);

  2. Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural S.A. – Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA);

  3. Telecomunicações Brasileiras S.A. (Telebras).


A ação pretende reforçar o papel das estatais na oferta de cidadania e ampliar os investimentos. Vale destacar que as estatais foram incluídas nos programas de desestatização durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).


O governo Lula, entretanto, já havia assinado um despacho determinando a revogação de processos de privatização de oito estatais, incluindo a Petrobras e os Correios, no dia da posse, em 1º de janeiro.


Na última quarta-feira (5), o Conselho do Programa de Parcerias e Investimentos recomendou que o governo fizesse a exclusão dos Correios e da Telebras do PND.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.