top of page

Os tratamentos contra covid já disponíveis e como funcionam

E mais: Bebê morre com covid em hospital de Realengo, Mãe é pressionada a não vacinar a filha, Crescente internações por covid em Niterói, MPRJ pede fechamento de abrigo em Niterói, Luto oficial pela morte de Olavo de Carvalho


Foto: Divulgação / gov.br
Foto: Divulgação / gov.br

Começamos o Rolé desta terça (25) com a notícia de que alguns corticoides, antivirais e anti-inflamatórios tiveram eficácia testada para o tratamento da covid-19.


Há atualmente alguns medicamentos que ajudam a combater o vírus ou os efeitos dele e que agem sobre o corpo de diferentes maneiras: medicamentos anti-inflamatórios para conter reações exageradas e potencialmente letais do nosso sistema imune, drogas antivirais que dificultam a replicação do coronavírus dentro do corpo, terapias de anticorpos que imitam nosso próprio sistema imunológico para atacar o vírus. Saiba mais em G1: Os tratamentos contra covid já disponíveis e como funcionam


Vimos a triste notícia do bebê de 1 ano e 3 meses morreu no Hospital Municipal Albert Schweitzer, Realengo, nesta segunda (25), à espera de uma transferência para outra unidade de saúde que havia sido determinada pela Justiça.


Gael Aguiar da Silva Souza foi levado pela família quatro vezes ao hospital e, diagnosticado apenas com infecção urinária, acabou liberado em todas. Somente na última é que houve a internação, já com quadro de suspeita de leucemia, hepatite e um teste positivo de covid-19. O hospital afirmou à família que não dispunha de suporte para o caso. Com informações O Dia: Bebê de 1 ano morre no Hospital Albert Schweitzer à espera de transferência




Uma mãe que foi vacinar a filha em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio, disse que foi pressionada a desistir da vacinação. O RJ1 mostrou, nesta segunda (24), que a secretaria de saúde local cobra um termo de responsabilidade assinado pelos pais, o que é irregular.

A exigência tem impactado na adesão à campanha de vacinação na cidade, que tem doses de vacina sobrando.


O Ministério Público disse que vai instaurar um inquérito para apurar os fatos e tomar as medidas cabíveis. O G1 noticiou: Mãe que foi vacinar filha em Itaguaí, no RJ, relata pressão para pais desistirem: 'Terrorismo'


O Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde de Niterói e São Gonçalo (SindHleste) divulgou os números dos casos de internação, em quartos e unidades de terapia intensiva (UTIs) exclusivas para tratar pessoas com a Covid-19, em Niterói e São Gonçalo.


O levantamento é da rede hospitalar particular dos municípios e mostra que em Niterói a alta dos hospitalizados em enfermarias aumentou 46% e em UTIs 125%. Vimos na Tribuna: Internações por Covid-19 continuam aumentando em Niterói


E ainda em Niterói o Ministério Público do Rio (MPRJ) pediu o fechamento do abrigo Centro Integrado à Criança e ao Adolescente Portadores de Deficiência Professor Almir Ribeiro, em Niterói. O órgão ajuizou ação civil pública por meio da 1ª Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude de Niterói e da 2ª Promotoria de Justiça de Família de Niterói.


Segundo a ação, um aspecto grave identificado pela fiscalização foi o fato de a unidade privilegiar a medicalização em detrimento do trabalho social voltado à inclusão. Mais detalhes no Enfoco: MPRJ constata violações e pede fechamento de abrigo em Niterói




E finalizamos o Rolé de hoje com a notícia do Extra de que Bolsonaro decretou luto de um dia em todo o país pela morte do ideólogo Olavo de Carvalho, que morreu na madrugada desta terça.


Essa é a segunda vez que o presidente publica um decreto de luto oficial em seu governo. A primeira vez ocorreu no ano passado, após a morte do ex-vice-presidente Marco Maciel. Olavo de Carvalho morreu nos Estados Unidos, onde morou nas últimas décadas e era considerado o principal influenciador ideológico dos seguidores do presidente. Bolsonaro decreta luto de um dia por morte de Olavo de Carvalho

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.