top of page

Quatro vítimas do temporal de domingo em Petrópolis são identificadas

Um corpo ainda aguarda resultado do exame por digitais; outras quatro pessoas seguem desaparecidas


Foto: Lucas Machado/Inter TV
Foto: Lucas Machado/Inter TV

Brasil de Fato - Na noite da última segunda (21), começaram a ser divulgados os nomes das vítimas fatais do temporal que atingiu novamente a cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, no domingo (20).


Segundo a Polícia Civil, quatro pessoas foram identificadas e um outro corpo aguarda resultado do exame por digitais. Devido ao estágio avançado de decomposição há suspeita de que seja vítima da tragédia ocorrida no dia 15 de fevereiro, que vitimou 233 pessoas.


Outras quatro pessoas seguem desaparecidas, de acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ).


Entre as vítimas fatais identificadas estão Carmelo de Souza, Jussara Berlarmino Souza, Heloisa Helena Caldeira da Costa e Nelson Ricardo Ferreira da Costa.


Nelson e Heloisa estavam em uma casa que desabou com um deslizamento de terra, localizada na encosta Washington Luiz, uma das mais afetadas pelas chuvas. De acordo com informações do jornal Diário de Petrópolis, Nelson era professor da Universidade Estácio. Em nota, a instituição lamentou a morte do profissional que lecionava nos cursos de Arquitetura, Design de Moda e Publicidade do campus Petrópolis.


“Toda a equipe da Estácio está de luto e profundamente consternada com o falecimento do querido professor Nelson Ricardo Ferreira da Costa, doutor em Artes Visuais. Desde 2003 Nelson era professor na instituição e sempre foi muito querido pelos alunos e por todo time de colaboradores. A Estácio expressa sua gratidão em homenagem à sua memória e permanece à disposição de seus familiares, alunos e colegas de trabalho neste momento de pesar”, afirmou a instituição.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.





POLÍTICA