top of page

São Gonçalo fecha 2022 com covidímetro zerado

Município mantém fase verde na contaminação por covid-19


Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

São Gonçalo permaneceu na fase verde no covidímetro na semana 52/2022 - entre os dias 25 e 31 de dezembro. Todos os índices que medem o coronavírus estão zerados, o que indica que o município está com o risco de contaminação pelo coronavírus normal controlado.

Na semana epidemiológica 52/2022, os indicadores apontaram 2% de ocupação de leitos de UTI adulto (0 ponto). A ocupação de leitos de enfermaria ficou em 1% (0 ponto). A variação de óbitos pelo coronavírus ficou com 0 (0 ponto). A variação de pacientes internados ficou em 1 (0 ponto). E, por último, a porcentagem dos casos da covid-19 notificados ficou em 3% (0 ponto).

Para ter a fase de risco determinada são avaliados os cinco indicadores: capacidade de leitos de UTI, capacidade de leitos de enfermaria, variação de óbitos por covid-19, variação de novos casos e variação de pacientes internados. Dependendo dos números do sistema municipal de saúde, o município vai contando pontos. Com o total, a cidade é colocada em uma fase.

São seis fases de avaliação da contaminação: verde (fase normal controlado, de 0 a 4 pontos), amarelo 1 (fase 1, de 5 a 9 pontos, baixo risco), amarelo 2 (fase 2, de 10 a 19 pontos, médio risco), laranja (fase 3, de 20 a 29 pontos, alto risco), vermelho 1 (fase 4, de 30 a 39 pontos, muito alto risco) e vermelho 2 (fase 5, mais de 40 pontos, risco extremo).

A Secretaria de Saúde orienta que o gonçalense deve manter os hábitos de lavar as mãos ou higienizar com álcool em gel, além de manter o esquema vacinal em dia. Toda a população com mais de seis meses pode ser vacinada contra o coronavírus. A quarta dose da vacina está disponível para todos os gonçalenses com mais de 18 anos que tenham mais de quatro meses de intervalo da terceira dose.

A quinta dose está disponível para os imunossuprimidos com mais de 18 anos, incluindo gestantes e puérperas. E a quarta dose para os adolescentes entre 12 e 17 anos imunossuprimidos – também incluindo gestantes e puérperas. As doses de reforço podem ser aplicadas após intervalo de quatro meses da dose anterior.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA

KOTIDIANO