top of page

Tarcísio se aproxima de Lula e bolsonaristas ficam furiosos

Eles reclamam que o aceno do governador ao petista acontece dias depois de a casa de Bolsonaro em Angra dos Reis

Os dois se encontraram em Santos/Foto: Presidência da República
Os dois se encontraram em Santos/Foto: Presidência da República

DCM - A aproximação do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), com o presidente Lula gerou revolta em parlamentares bolsonaristas. Ministro da Infraestrutura no governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, ele foi criticado por aliados de seu ex-chefe. A informação é da coluna de Bela Megale no jornal O Globo.


Eles reclamam que o aceno do governador ao petista acontece dias depois de a casa de Bolsonaro em Angra dos Reis (RJ) ser alvo de uma operação da Polícia Federal, que teve como alvo o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), suspeito de receber informações de esquema de espionagem ilegal da Abin (Agência Brasileira de Inteligência).


As falas de Tarcísio também foram criticadas. Durante o evento que celebra os 132 anos do porto de Santos, no litoral sul de São Paulo, o governador teria feito um discurso “tecniquês”, segundo aliados, enquanto Lula teve mais ganhos políticos com sua fala.


Na avaliação de bolsonaristas, o ex-presidente estava certo ao dizer que o governador “não tem a experiência política”.



Durante o evento desta sexta, Tarcísio foi vaiado pela plateia e defendido por Lula, com quem dividia o palco. O presidente afirmou que ele “merece ser tratado com muito respeito”. O governador, por sua vez, afirmou que quer “deixar um legado” trabalhando com o petista e agradeceu “pela parceria”.


Tarcísio ainda ouviu um pedido inusitado enquanto Lula discursava. “Volta pro PT”, gritou uma pessoa na plateia. A frase provocou gargalhadas entre os presentes e fez o governador paulista abrir um sorriso amarelo, nitidamente desconfortável com a situação.


O presidente aproveitou a deixa e falou sobre o passado do bolsonarista. “Eu encontrei com o Tarcísio em Coari, no meio da Amazônia, trabalhando no gasoduto. Depois o Tarcísio trabalhou com a Dilma Rousseff. Depois eu estranhei vendo ele trabalhar com o Bolsonaro, mas paciência, é uma opção dele”, afirmou.


A cerimônia desta sexta ocorre para celebrar acordos entre o governo federal e a administração paulista, como o túnel Santos-Guarujá, anunciado na última terça (30). O projeto, prometido por diferentes administrações paulistas, foi alvo de uma disputa entre entre os chefes do Executivo.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.