top of page

Governo Lula lança programa de Casas de Acolhimento LGBTQIA+

Um dos objetivos da medida é fortalecer instituições que já trabalham no acolhimento de pessoas LGBT em situação de abandono familiar, risco e violência

Governo Lula lança programa de Casas de Acolhimento LGBTQIA+; entenda como vai funcionar. Lula Marques
Governo Lula lança programa de Casas de Acolhimento LGBTQIA+; entenda como vai funcionar. Lula Marques

Fórum - O governo Lula, por meio do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC), lançou nesta quinta-feira (7) o Programa Nacional de Fortalecimento das Casas de Acolhimento LGBTQIA+. Publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira, a política integrará a Estratégia Nacional de Enfrentamento à Violência contra Pessoas LGBTQIA+.


De acordo com o documento divulgado pelo Ministério dos Direitos Humanos, o programa Acolher+ tem como objetivo fortalecer e implementar casas de acolhimento para pessoas LGBTQIA+ que vivem em situação ou na iminência de rompimento dos vínculos familiares devido à sua identidade de gênero, orientação sexual e/ou características sexuais.


Além disso, o programa lançado pelo governo Lula também atuará no desenvolvimento e implementação de metodologias de acolhimento para pessoas LGBTQIA+.

Em sua execução, o programa se baseará no reconhecimento das violências e discriminações em razão das condições de gênero e sexuais sofridas pela comunidade LGBTQIA+ de forma estrutural na sociedade brasileira.



Para a secretária nacional dos Direitos das Pessoas LGBTQIA+, Symmy Larrat, o programa "nasce com a expectativa de que os planos, as ações e o desenvolvimento de projetos do Poder Executivo observem a importância da institucionalização das políticas públicas para as pessoas LGBTQIA+, pois não podemos permitir que mudanças governamentais firam o princípio das garantias de direitos fundamentais, previstos inclusive na Declaração Universal dos Direitos Humanos".


Como será implementado?


Em até 120 dias, o MDHC publicará atos para a adesão de instituições públicas e privadas com o objetivo de implementar e fortalecer Casas de Acolhimento para pessoas LGBTQIA+. No mesmo prazo, será instaurado um Comitê de Avaliação e Monitoramento para acompanhar as ações a serem instituídas pelo programa Acolher+.


A iniciativa deverá, ainda, atender às diretrizes da Estratégia Nacional de Enfrentamento à Violência contra Pessoas LGBTQIA+.


O que são casas de acolhimento?


Diferentemente do conceito de moradia fixa, as casas de acolhimento destinam-se ao abrigo provisório de pessoas afetadas pela violência ou em risco iminente de perder vínculos comunitários devido ao preconceito e às violações de direitos fundamentais.


Essas casas são caracterizadas por serem ambientes acolhedores e seguros, com estrutura de residência compartilhada a médio e longo prazo, podendo operar na modalidade de abrigo institucional ou república, fornecendo condições para moradia, alimentação e higienização.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.