top of page

Criança de 1 ano é ferida por bala de airsoft disparada por PMs; veja vídeo

Agentes foram afastados

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

DCM - A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo afastou dois policiais militares de suas funções após uma criança de um ano ser atingida por um tiro de arma de airsoft. O incidente foi registrado por câmeras de segurança em Itaim Paulista, na zona leste de São Paulo.


No vídeo, uma viatura da Polícia Militar cruza com uma moto na rua sem realizar qualquer pedido de parada ou abordagem. Um dos policiais atira contra as pessoas na moto, atingindo a criança de um ano, que estava sendo conduzida pelo pai.


A pistola utilizada, conhecida como airsoft, é uma arma de pressão que dispara munição de plástico utilizada em estandes de tiro, não fazendo parte dos equipamentos padrão da Polícia Militar. A criança precisou ser internada no Hospital Tide Setubal, em São Miguel Paulista, após receber pontos no rosto.


A bala de airsoft foi removida em cirurgia, e o artefato foi encaminhado à Polícia Técnico-Científica para perícia. A família registrou um boletim de ocorrência, e o caso está sendo investigado como tentativa de homicídio pelo 50º Distrito Policial (DP) de Itaim Paulista. A investigação será conduzida pelo 67º DP, Jardim Robru, na tentativa de identificar o policial militar responsável pelo disparo.


O delegado responsável pelo caso afirmou que a atitude do policial se configura como crime em que o atirador assume o risco de matar. “Adianto que a conduta se amolda ao tipo penal de tentativa de homicídio, no mínimo a título de dolo eventual”, disse Gregory.


Além disso, a Corregedoria da PM está apurando o caso e a conduta dos policiais militares envolvidos. O fato de o policial ter usado uma arma que não pertence à corporação aumenta a gravidade da situação, conforme avaliação do 50º DP. “Não há justificativa para utilizar um instrumento que nem faz parte do acervo que faz parte da atividade policial: o airsoft. O que demonstra a torpeza da conduta”, afirmou o delegado.



O veículo da Polícia Militar identificado no vídeo já foi localizado pela investigação da Polícia Civil. A Corregedoria informou que afastou preventivamente os dois policiais militares que estavam na viatura.


A madrinha da criança, em entrevista ao G1, relatou que o pai havia pegado a filha para levá-la até sua casa. Ao chegar lá, perceberam que a criança estava sangrando no rosto e chorando. Ela destacou o abalo emocional da situação, ressaltando que se houvesse uma ordem de parada, teriam atendido sem problemas.


“Tão falando que foi airsoft, mas se é um tiro de verdade… iam matar a menina,” disse a madrinha da criança.


O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran) destacou que transportar criança com menos de dez anos na garupa de uma moto é uma infração gravíssima pelo Código Nacional de Trânsito (CNT), sujeita a multa e suspensão do direito de dirigir.


No entanto, os policiais não deram ordem de parada ao pai da criança, optando por efetuar o disparo, conforme relataram o delegado Gregory Goes Siqueira, titular do 50º DP, o o pai da vítima e pode ser visto nas imagens.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.