Buscar

SG teve 69 casos de estupro notificados de janeiro a abril de 2016



DE A TRIBUNA

Texto: Augusto Aguiar

O Brasil se comoveu e se revoltou com o drama da jovem de 16 anos, que foi estuprada por mais de 30 criminosos na Zona Oeste do Rio, no fim da semana passada. Como se não bastasse, as imagens da vítima desacordada ainda foi postada nas redes sociais pelos agressores.

O caso mobilizou a opinião pública e chamou atenção da sociedade para uma modalidade de crime que nos quatro primeiros meses registrou queda em Niterói e São Gonçalo, mas ainda chama atenção. Em alguns desses casos ocorridos na Região Metropolitana entre os anos de 2014 e 2015 o desfecho foi trágico, culminando com a morte de vítimas.

O Estado teve uma média de 13 estupros por dia entre 1º de janeiro e 30 de abril deste ano, segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP). Foram registrados 1.543 casos de estupro nos primeiros quatro meses de 2016. Ainda não há dados referentes ao mês de maio.

Nos quatro primeiros meses de 2015, Niterói registrou 73 ocorrências de estupro e outras 67 no mesmo período desse ano, de acordo com dados do ISP. Em São Gonçalo o quadro é ainda mais alarmante, com 85 casos no primeiro quadrimestre do ano passado contra 69 de janeiro a abril desse ano.

Um balanço dos números aponta para uma média de dois estupros a cada 48 horas. O caso da jovem ocorrido na Zona Oeste do Rio mobilizou opiniões e autoridades, e as imagens divulgadas correu o país via internet.

O levantamento mostra que em janeiro desse ano apenas a 79ª DP (Jurujuba) não registrou caso desse modalidade de crime. Em fevereiro, apenas a 81ª DP (Itaiupu), em março, mais uma vez a 79ª DP. Em abril todas as delegacias registraram ocorrências do gênero. Em todos os meses, a cidade de Maricá (82ª DP) apresentou as maiores incidências.

Foram sete ocorrências em janeiro, nove em fevereiro, seis em março e outras seis em abril. No mesmo período do ano passado apenas no mês de janeiro a 82ª DP não apresentou os maiores números de registros desses casos, sendo superada pelo Centro de Niterói (76ª DP), com sete registros. Em São Gonçalo, nos dois últimos anos, apenas no mês de abril de 2015 não houve registros de casos de estupro, na área da 72ª DP (Mutuá).

Nos demais meses e em todas nas áreas de todas as DPs que servem a cidade foram registrados casos dessa modalidade de crime, com alarmantes 11 casos registrados em janeiro de 2015 na região Alcântara.

Entre os casos que já haviam estarrecido a opinião pública na Região Metropolitana, no início desse mês (dia 8 de maio) um homem de 27 anos foi preso em São Gonçalo, por agentes da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam/SG), acusado de abusar sexualmente duas irmãs.

O crime teria sido cometido na tarde do dia 11 de março, quando as vítimas entravam num veículo estacionado em um supermercado, no bairro de Neves. Segundo os agentes, as vítimas, de 23 e 26 anos, foram atacadas quando haviam acabado de fazer compras e foram obrigadas a entrar no veículo e seguir para um rua próxima do mercado com o criminoso, onde foram estupradas. No dia 5 de maio, policiais da Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) se deslocaram até o bairro Barro Vermelho (São Gonçalo).

No local os agentes foram informados que a aposentada Maria José Carvalho dos Santos, de 80 anos, foi violentada sexualmente, torturada e assassinada. O corpo da idosa, que estava nua, foi encontrado por familiares dentro da casa. Policiais afirmaram que além de sofrer abuso sexual, a vítima teve um dos seios cortado.

Gostou? Curta a página Daki no facebook aqui e fique bem informado.


#CULTURADOESTUPRO #SÃOGONÇALO #CIDADE

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon