Buscar

O talentoso designer e ilustrador Rodrigo Camillo bate um papo com o Daki


Na série de entrevistas que o Jornal Daki está realizando com os artistas de Itaboraí e São Gonçalo, entrevistamos o Ilustrador e Designer gráfico, Rodrigo Camilo Alves De Almeida. Morador de Itaboraí, Rodrigo, hoje com 29 anos, conta que recebeu total apoio da família para seguir a carreira artística e mesmo com um vasto currículo ainda continua estudando e aprendendo novas técnicas.


Fã de artistas como Even Amundsen, Wesley Burt, Mike Azevedo_ Rodrigo Camillo, também fala da suas inspirações e aposta em trabalhos que possibilite o publico “fugir” um pouco da realidade e os proporcione momentos de entretenimento e prazer.

O artista ainda fala sobre os projetos para o futuro, plágio, como é se manter com a arte e muitos outros assuntos, confira!

Jornal Daki: Como foi sua infância? (família e amigos)

Rodrigo Camillo: Minha infância foi tranquila. Eu sempre tive amigos, praticava muitos esportes na escola ( Educação Física era a aula preferida) e sempre gostei de desenhar. Lembro que na época um professor fez um trato comigo, ele me traria um revista mangá toda semana se eu não desenhasse na aula dele e ficasse com a atenção na aula. Era divertido!

Jornal Daki: Onde estudou?

Rodrigo Camillo: Estudei no meu Município mesmo. Colégio Cenecista Joaquim Manoel de Macedo em Venda das Pedras, Itaboraí/RJ.

Jornal Daki: Você vem de família de ilustradores ou este talento é exclusividade sua?

Rodrigo Camillo: Eu não venho de família de ilustradores, porém minha primeira experiência com um trabalho de ilustração foi fazer as artes para um livro de poesia que meu Tio Élis escreveu inspirado na história da minha cidade. Sou muito grato, pois minha família sempre me apoiou como artista.


Jornal Daki: Quando você começou a se interessar por ilustração/desenho/design?

Rodrigo Camillo: Eu sempre desenhei, no início achava que seria hobbie. Vi no Design uma oportunidade de me graduar e seguir carreira. Mas no tempo que trabalhei no Ministério Público, tive a oportunidade de visualizar a ilustração como minha principal profissão. Principalmente pela influência do Berto Souza ( Artista 3D ) e do meu Ex-Gerente Alexandre Almeida.

Jornal Daki: Como é o processo de criação de seus trabalhos e quais ferramentas utiliza?

Rodrigo Camillo: Hoje meu processo é todo digital, eu ilustro na mesa digital da wacom. O programa que eu uso é o Photoshop da Adobe.

Jornal Daki: Em sua Home Page existem trabalhos em que você descreve como “estudo”. Você ainda estuda novas técnicas para criação de novos trabalhos?

Rodrigo Camillo: Sim, com certeza! Eu ainda tenho objetivos de continuar me especializando, ainda tem muita estrada para percorrer. E a única forma de crescer (acredito que em qualquer profissão) é estudando!

Jornal Daki: Como você lida com o reconhecimento dos fãs nas ruas?

Rodrigo Camillo: Para falar a verdade, acredito que não tenha fãs como celebridades, essas coisas! Ha ha ha Isso é normal eu falo de boa com todo mundo. Por divulgar meu trabalho nas redes sociais, recebo muitos pedidos de ajuda e contatos pelo facebook. Assim que posso eu respondo a todos!

“Durante todo ano de 2015 coloquei o estudo em minha rotina e busquei amadurecimento para ter foco nos meus objetivos. Depois de algumas noites sem dormir e de trancar o jostick na gaveta (hehe), eu sinto que evoluí, porém sei que ainda tenho um longo caminho a percorrer…”


Jornal Daki: Tem algum artista em especial no qual você se inspire?

Rodrigo Camillo: Tem vários! haha Kim Jung Gi, Craig Mullins, Even Amundsen, Wesley Burt, Mike Azevedo, John Park, Eytan Zana, entre outros...

Jornal Daki: Quais as dificuldades que você encontra atualmente na profissão?

Rodrigo Camillo: Minha maior dificuldade é o inglês, estou correndo contra o tempo para poder ter fluência. Assim poderei fazer cursos e workshops e até oportunidades de trabalho no exterior.

Jornal Daki: Você já usou algum trabalho seu para expressar sua opinião política? Como foi a repercussão?

Rodrigo Camillo: Ainda não fiz nada desse tipo, se algum trabalho me der essa oportunidade faria com prazer, mas normalmente gosto de ilustrar temas de fantasia, medieval, games, filmes, histórias que nos levam para outra realidade e nos fazem esquecer um pouco da nossa.

Jornal Daki: Como foi no início profissão e quais as dificuldades que mais enfrentou?

Rodrigo Camillo: Eu tive pouca dificuldade no início, comecei a faculdade, estagiei e já fui efetivado depois de 1 ano. Talvez a fase mais difícil venha agora, que eu tenha que me firmar somente como ilustrador. Mas estou preparado para o desafio!

Jornal Daki: Pra quem você daria destaque no cenário nacional de cartoons?

Rodrigo Camillo: Carlos Luzzi, Sandro Cleuzo e Paulo Ignez. Mas temos ótimos Estúdios com trabalhos na TV e Youtube, que é o caso do Combo e do Copa Studio.

Jornal Daki: Como você vê a questão de direito autoral? Já teve problemas como este?

Rodrigo Camillo: Ainda não, mas já vi casos de amigos que tiveram suas artes plagiadas ou usadas sem permissão. É uma dor de cabeça que às vezes a gente passa, mas não acontece com tanta frequência.

Jornal Daki: O que você acha do estilo mangá nos quadrinhos? Já se aventurou por ele em algum momento?

Rodrigo Camillo: Eu sempre gostei de ver e ler mangá, acho muito legal, mas nunca me aventurei nesse estilo.


“Se cheguei até aqui, é porque não andei sozinho. Tive muitos aliados, sempre me motivando em me dando confiança para continuar”

Jornal Daki: Você recebe com freqüência propostas para fazer trabalhos gratuitamente? Como você lida com pedidos do tipo? Ou aceita por causas sociais?

Rodrigo Camillo: Às vezes acontece sim! Hoje eu vivo da minha arte, então é difícil não cobrar pelo meu serviço. Mas dependendo da causa social, vale à pena ajudar, tem que ser avaliado.

Jornal Daki: Quantos personagens você já criou, e dentre eles existe um que seja mais especial?

Rodrigo Camillo: Já criei alguns personagens em Projetos Pessoais e no Ministério Público, onde tive boa experiência com ilustração mesmo sendo Design Gráfico. O que mais gostei de fazer foi o personagem para o MCA. (http://mca.mp.rj.gov.br/)


Jornal Daki: O que te inspira e como funciona o seu processo criativo?

Rodrigo Camillo: Hoje o que tem me inspirado são jogos e Concept Art. Eu penso em uma ideia e começo a esboçar alguma coisa. A partir disso, começo a pesquisar referência para enriquecer a mesma. Com as referências começo a elaborar alternativas, costumo fazer várias opções. Às vezes o melhor conceito nunca vem de primeira. Quando me sinto satisfeito com as opções, escolho a melhor entre elas e começo a colorir e finalizar a imagem. Isso pode mudar um pouco, mas normalmente funciona dessa forma.

Jornal Daki: Alguns personagens já conhecidos pelo público são adaptados, outros inspirados em pessoas reais e outros puramente fictícios, como funcionam esse processo de criação?

Rodrigo Camillo: Acho que tudo depende da mensagem que aquela arte ou animação vai passar para o público. Esse é o motivo de tudo, contar uma história, dizer algo! E a forma que como é criado, como a pesquisa de referência é feita, é para tentar atingir as pessoas da melhor forma possível. Meu professor de Pintura digital em 2015 que enfatizava isso: Nós somos Comunicadores Visuais!

Jornal Daki: Para você, o que é ser desenhista/designer?

Rodrigo Camillo: Ser desenhista é um pouco diferente de design. O design Gráfico vai resolver problemas, ele vai ajustar, ou criar algo uma logo (por exemplo), para que o cliente se posicione e tenha destaque no nicho de mercado dele. Essa logo deve se relacionar da melhor forma com seu público alvo. O desenho, a ilustração, como o nome já diz, é para ilustrar uma história, passar uma mensagem e por ai vai!

Jornal Daki: Para quem está começando, qual dica você daria?

Rodrigo Camillo: Estudando sozinho ou com um curso, vai sempre depender da sua dedicação e organização. Durante a jornada, você vai errar e se frustrar várias vezes, mas o importante é começar de novo e insistir. Ter boas referências também é indispensável. Eu sei bem o que é isso, pois estou buscando melhorar a cada dia, tenho muitos objetivos ainda e não posso parar!

Saiba mais em:

http://goo.gl/wGJtYV http://goo.gl/KBVjvS

Gostou? Curta a página Daki no facebook aqui e fique bem informado.​


#CULTURA #ITABORAÍ

MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon